Vigilância realiza mutirão de combate à dengue no Maria Luiza neste sábado (14)

Digiqole ad
Dando continuidade às ações de intensificação do combate à dengue, a Coordenadoria de Vigilância em Saúde realiza novo mutirão neste sábado (14), das 8h às 12h, desta vez no Jardim Maria Luiza.
 
 
Os moradores do bairro devem separar recipientes e materiais inservíveis que possam acumular água e deixá-los na calçada para que os profissionais da Vigilância façam o recolhimento (veja abaixo a lista de ruas e avenidas).
 
 
No final do mês passado, as equipes da Vigilância já recolheram 38 toneladas de materiais inservíveis descartados pelos moradores do Altos de Pinheiros, da Vila Biagioni, do Jardim das Estações, da Vila Xavier e durante limpeza no Córrego do Tanquinho (região do Selmi Dei).
 
 
O coordenador de Vigilância em Saúde, Rodrigo Ramos, explica que a intensificação do trabalho de combate à dengue ocorre antes da chegada do verão, quando as chuvas aumentam o risco de água parada e de proliferação do Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, a chikungunya e o zika vírus.
 
 
“É um período de aumento nas chuvas, na umidade e na temperatura, que são condições para o mosquito se proliferar. São seis dias para ele sair do ovo para a fase adulta. Em uma semana, pode-se dobrar o número de mosquitos. Agora é momento de evitar os criadouros”, afirma Rodrigo.
 
 
“Cada pessoa deve dispensar 15 minutos para olhar a casa e procurar recipientes e locais que possam ter água parada. Pratinhos, calhas, caixas d’água, garrafas, produtos recicláveis”, explica o coordenador.
 
 
Em reunião da Sala de Situação da Dengue, também foram apresentadas outras medidas a serem tomadas pelo Município. Além dos mutirões, serão feitos fiscalização em terrenos baldios, acumuladores e locais de reciclagem, vistoria em todas as escolas municipais, reforço na limpeza de praças e locais públicos, assim como reportagens da Secretaria de Comunicação e uso de carros de som nas regiões com maior infestação do mosquito para conscientização da população.
 
 
Os bairros com maior infestação são descobertos graças ao sistema MI-Aedes (Monitoramento Integrado do Aedes aegypti). A Vigilância tem acesso, pela internet, a um mapa interativo que mostra quais as regiões da cidade com maior e menor incidência do Aedes.
 
 
Isso foi possível com a instalação de 918 armadilhas em residências espalhadas por toda Araraquara. Diariamente, servidores da Vigilância visitam esses locais para conferir se fêmeas adultas do Aedes foram capturadas. Essas informações são incluídas no sistema pelos agentes por meio de tablets.
 
 
No momento, as regiões com maior captura de mosquitos são as seguintes: Altos de Pinheiros, Jardim das Estações, Centro, São José, Residencial Cambuy, Residencial Dahma, Jardim Maria Luiza, Santana, Morumbi, Selmi Dei e Vila Sedenho.
 
 
Neste ano, desde janeiro, são 222 casos confirmados de dengue em Araraquara. Em outubro houve duas confirmações, dois casos aguardando resultados e 16 suspeitas foram descartadas.
 
 
Confira a lista de ruas e avenidas do mutirão do Maria Luiza neste sábado (14), das 8h às 12h: 
Rua Januário de Freitas Jesus, Av. Orlando Schitini, Rua Ayrton Firmiano, Rua Fulvio Gaspar Brunelli, Rua Leônidas Dall’Acqua, Rua Dr. José Augusto de Arruda Botelho, Rua Aryano Penteado Simões, Rua Claudio do Amaral, Rua Paschoal Meaulo (Sansão), Rua Dr. Olavo de Almeida Pereira de Cordis, Av. Paulo Pagotto, Av. Profª Helena Goulart de Faria Zuchi, Av. Sargento PM Vital Maria Bueno Lopes, Av. Prof. Lafayette Carvalho de Toledo, Av. Edmundo Vicentini, Av. Dorival Arlindo Falcone, Av. Victor Salvajoli, Av. Jesus Alves Maia e Av. Alfeu Gonçalves Belchior.
Dando continuidade às ações de intensificação do combate à dengue, a Coordenadoria de Vigilância em Saúde realiza novo mutirão neste sábado (14), das 8h às 12h, desta vez no Jardim Maria Luiza.
 
Os moradores do bairro devem separar recipientes e materiais inservíveis que possam acumular água e deixá-los na calçada para que os profissionais da Vigilância façam o recolhimento (veja abaixo a lista de ruas e avenidas).
 
O coordenador de Vigilância em Saúde, Rodrigo Ramos, explica que a intensificação do trabalho de combate à dengue ocorre antes da chegada do verão, quando as chuvas aumentam o risco de água parada e de proliferação do Aedes aegypti, mosquito que transmite a dengue, a chikungunya e o zika vírus.
 
“É um período de aumento nas chuvas, na umidade e na temperatura, que são condições para o mosquito se proliferar. São seis dias para ele sair do ovo para a fase adulta. Em uma semana, pode-se dobrar o número de mosquitos. Agora é momento de evitar os criadouros”, afirma Rodrigo.
 
“Cada pessoa deve dispensar 15 minutos para olhar a casa e procurar recipientes e locais que possam ter água parada. Pratinhos, calhas, caixas d’água, garrafas, produtos recicláveis”, explica o coordenador.
 
Em reunião da Sala de Situação da Dengue, também foram apresentadas outras medidas a serem tomadas pelo Município. Além dos mutirões, serão feitos fiscalização em terrenos baldios, acumuladores e locais de reciclagem, vistoria em todas as escolas municipais, reforço na limpeza de praças e locais públicos, assim como reportagens da Secretaria de Comunicação e uso de carros de som nas regiões com maior infestação do mosquito para conscientização da população.
 
Os bairros com maior infestação são descobertos graças ao sistema MI-Aedes (Monitoramento Integrado do Aedes aegypti). A Vigilância tem acesso, pela internet, a um mapa interativo que mostra quais as regiões da cidade com maior e menor incidência do Aedes.
 
Isso foi possível com a instalação de 918 armadilhas em residências espalhadas por toda Araraquara. Diariamente, servidores da Vigilância visitam esses locais para conferir se fêmeas adultas do Aedes foram capturadas. Essas informações são incluídas no sistema pelos agentes por meio de tablets.
 
No momento, as regiões com maior captura de mosquitos são as seguintes: Altos de Pinheiros, Jardim das Estações, Centro, São José, Residencial Cambuy, Residencial Dahma, Jardim Maria Luiza, Santana, Morumbi, Selmi Dei e Vila Sedenho.
 
Neste ano, desde janeiro, são 222 casos confirmados de dengue em Araraquara. Em outubro houve duas confirmações, dois casos aguardando resultados e 16 suspeitas foram descartadas.
 
Confira a lista de ruas e avenidas do mutirão do Maria Luiza neste sábado (14), das 8h às 12h: 
Rua Januário de Freitas Jesus, Av. Orlando Schitini, Rua Ayrton Firmiano, Rua Fulvio Gaspar Brunelli, Rua Leônidas Dall’Acqua, Rua Dr. José Augusto de Arruda Botelho, Rua Aryano Penteado Simões, Rua Claudio do Amaral, Rua Paschoal Meaulo (Sansão), Rua Dr. Olavo de Almeida Pereira de Cordis, Av. Paulo Pagotto, Av. Profª Helena Goulart de Faria Zuchi, Av. Sargento PM Vital Maria Bueno Lopes, Av. Prof. Lafayette Carvalho de Toledo, Av. Edmundo Vicentini, Av. Dorival Arlindo Falcone, Av. Victor Salvajoli, Av. Jesus Alves Maia e Av. Alfeu Gonçalves Belchior.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *