24/03/2021 às 10h19min - Atualizada em 16/04/2021 às 00h00min

Startup brasileira de biotecnologia cresce 437% em 2020

Em 2021, Decoy pretende aumentar faturamento em 109%

SALA DA NOTÍCIA Isabela Rodrigues
A startup brasileira Decoy Smart Control, desenvolvedora de soluções biológicas para controle de pragas, viu seu faturamento crescer 437% em 2020, com relação ao valor apurado em 2019. Em um laboratório de 80 metros quadrados no Supera Parque de Inovação e Tecnologia, localizado no campus da USP em Ribeirão Preto, o número de colaboradores da empresa também dobrou. A startup já recebeu R$ 1,8 milhão em investimentos privados desde 2015, ano em que foi fundada. No ano passado, a empresa recebeu R$ 810 mil em recursos públicos oriundos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Com projetos consolidados no setor de agronegócios por meio de soluções para combate do carrapato-do-boi, a Decoy também tem investido nas tecnologias para os mercados de avicultura e apicultura, além de soluções para combate da cigarrinha e do carrapato em pets. Hoje, a startup tem parceria com mais de 800 produtores, de todos os estados do país - com foco para Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais -, e já usou suas soluções em 100 mil animais.

Para Lucas von Zuben, CEO da Decoy, o mercado de controle biológico está em plena expansão no Brasil, e é possível observar, ano a ano, um crescimento a taxas expressivas desse segmento. “Para se ter uma ideia, estima-se que o mercado de controle biológico movimentou quase 1 bilhão de reais na safra 19/20, um crescimento de 46% em comparação com o ano anterior. Apesar disso, quando comparado ao mercado total de defensivos, o controle biológico ainda representa apenas 2%. Ou seja, existe muito espaço para crescimento em um mercado que é bilionário”, destaca.

Como consequência, o executivo explica que é possível observar uma intensa movimentação das empresas já estabelecidas para se posicionar nesse novo mercado, com diversas multinacionais comprando empresas menores, por exemplo. “Também há uma movimentação governamental, com o lançamento do Programa Nacional de Bioinsumos, que visa facilitar e promover o uso do controle biológico”, ressalta. “Todo esse contexto aponta para um cenário muito positivo para o setor, indicando uma tendência de aumento para a adoção dessa tecnologia”, completa.

Agricultura sustentável

A Decoy se insere nesse contexto ao trazer a tecnologia de controle biológico para um outro segmento de mercado. “Todos esses dados relacionados ao controle biológico dizem respeito ao uso dessa tecnologia para a agricultura. Ou seja, para o controle de pragas que atacam lavouras. Já a Decoy utiliza essa tecnologia para o controle de pragas que afetam a saúde dos animais. Nesse mercado, o controle biológico é uma completa novidade”, pontua von Zuben. “Se para a agricultura o controle biológico já é uma realidade e está em plena expansão, na saúde animal ele acaba de se iniciar. Portanto, neste segmento as oportunidades são ainda maiores”, afirma. A Decoy é a primeira empresa a levar o conceito de controle biológico para a saúde animal no mundo.

Segundo o executivo, o potencial que o controle biológico oferece é relevante, e o objetivo da startup é tornar essa ferramenta uma realidade para a saúde animal. “Queremos ser exemplos de respeito ao meio ambiente, mostrando um caminho mais inteligente e correto às empresas”, completa. Em 2021, a empresa espera consolidar sua plataforma de soluções para o controle de pragas, por meio da aprovação regulatória de seus produtos e da consolidação de seu modelo de negócio, estratégia comercial e posicionamento no mercado. “Além disso, para consolidar nossa plataforma, pretendemos lançar novas tecnologias e otimizar as já existentes”, ressalta.

A startup também tem planos de expansão da operação, com lançamento de novos produtos, aumento da equipe e previsão de crescimento do faturamento em 109%.

O controle biológico de pragas

O uso recorrente de agentes químicos para combate de pragas possibilitou que os parasitas se tornassem resistentes aos métodos tradicionais, tornando-os ineficazes. Os inseticidas também são conhecidos por deixarem resíduos nos alimentos e serem tóxicos para os animais, seres humanos e meio ambiente. Diante desse cenário, a Decoy enxergou a necessidade de criar uma forma alternativa - e sustentável - de contenção de pragas.

Procurando revolucionar e promover mudanças nos padrões de consumo, a startup de biotecnologia percebeu que o alimento do futuro terá de ser mais limpo, saudável e causar menos impacto ambiental. “O consumidor tem uma nova relação com os alimentos que consome. Questiona sobre a origem, se preocupa com a procedência dos alimentos e com o trato dos animais. Essa mudança de hábito impacta toda a cadeia, especialmente os produtores, que devem se adaptar a essa nova demanda”, completa von Zuben.

O controle biológico se aproveita de relações pré-existentes na natureza e é uma forma sustentável de lidar com as pragas, pois dispensa o uso de agentes químicos agressivos. “A partir disso, temos soluções que utilizam conceitos de equilíbrio e manejo integrados, proporcionando um controle mais efetivo e ecológico”, pontua.

Por meio de um tratamento estratégico e natural, o produto não deixa resíduos nos alimentos. “Além disso, a solução não é tóxica para humanos, e nem para os animais, e, como se trata de um inimigo natural dos parasitas, não há problemas com resistência ao seu método de controle", destaca.Ao disponibilizar soluções ecológicas integradas, incentivar a produção mais natural de alimentos e influenciar atitudes positivas, proporcionamos mais saúde para os animais, pessoas e meio ambiente”, finaliza von Zuben.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »