29/07/2021 às 10h42min - Atualizada em 29/07/2021 às 13h23min

Câmara aprova projeto que assegura videochamadas para pessoas hospitalizadas

Câmara aprova projeto que assegura videochamadas para pessoas hospitalizadas

SALA DA NOTÍCIA Victor Augusto de Alencar
Pixabay
A pandemia trouxe um desafio maior para as pessoas hospitalizadas: a distância de quem ama. Por conta do risco de contágio, os hospitais restringiram o acesso de amigos e familiares, fazendo com que os pacientes ficassem ainda mais sozinhos.
Em meio a isso, o deputado federal Célio Studart (PV-CE) apresentou o Projeto de Lei 2136/20 em maio de 2020 para permitir que os hospitalizados fizessem videochamadas. O texto também foi assinado por Luisa Canziani (PTB-PR) e Celso Sabino (PSDB-PA). Apesar da iniciativa ter sido feita em 2020, ela foi aprovada em junho deste ano pelo Plenário da Câmara. O próximo passo é a apreciação do texto pelo Senado Federal.

Caminho até a aprovação
A ideia desse projeto veio da sociedade. O deputado Célio Studart acolheu uma sugestão feita pela Silvana Andrade, fundadora da Agência de Notícias de Defesa Animal (ANDA). Segundo ela, existem registros de sucesso de hospitais que usaram a comunicação virtual, como a Maternidade Escola Assis Chateaubriand (Meac).
Além de permitir o contato entre pacientes e familiares, a proposta prevê a responsabilidade do agente de saúde. Os profissionais precisarão seguir os protocolos de segurança e zelar pela confidencialidade do momento. A divulgação de qualquer imagem que possa expor as pessoas hospitalizadas e o próprio hospital estão proibidas.
Outro aspecto previsto no projeto é a possibilidade de a família fazer videochamadas com paciente inconscientes, se quiserem. No entanto, caso a comunicação não seja indicada - por motivos de saúde - o responsável deverá justificar.

Tratamento além da pandemia
Embora o projeto tenha sido proposto durante a pandemia, o intuito é que a aprovação continue impactando a vida das pessoas depois. Afinal, existem outras situações em que os pacientes não podem receber visitas de familiares - o que causa sofrimento para os dois lados.
Por sua vez, as videochamadas são grandes aliadas. Elas podem ser feitas de qualquer smartphone e com acesso à internet. Mesmo que seja um encontro virtual breve, já são capazes de trazer um pouco de alívio para pacientes e parentes.
Estes são os principais benefícios das reuniões on-line:
  • permitem que pessoas que estão distantes possam se comunicar;
  • possibilitam que as famílias levem mensagens positivas e de esperança para quem está hospitalizado;
  • garantem uma forma de o paciente se expressar e/ou mostrar como está passando, garantindo um pouco de tranquilidade para quem está de fora;
  • ajudam no compartilhamento de carinho e afeto.
Dessa forma, as reuniões virtuais são uma alternativa para quando não é possível fazer visitas presenciais - que fazem tão bem para os pacientes. Aliás, existem hospitais brasileiros que até já estão autorizando a presença de animais de estimação, como o Centro Hospitalar de Santo André, em São Paulo.
Conectar quem se ama - seja uma pessoa ou um animal - faz parte de projetos de humanização que estão ganhando o país. O bem-estar do paciente, somado a sentimentos de esperanças, são tão importantes quanto as medicações. Por isso, projetos como o que está sendo discutido tendem a crescer cada vez mais.
Caso o Projeto de Lei 2136/20 seja aprovado pelo Senado, ele deverá ser enviado para sanção do Presidente da República nos últimos dias. Agora é esperar para ver se as famílias terão direito a fazer videochamadas com os pacientes.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »