16/01/2022 às 16h20min - Atualizada em 16/01/2022 às 18h00min

Rayssa Leal fatura STU de Criciúma, 1ª etapa do circuito brasileiro

A adolescente maranhense, prata na Olimpíada de Tóquio, superou a paulista Pâmela Rosa na superfinal do estilo street. Já o campeão masculino foi Lucas Rabelo, de 22 anos.

Agência Brasil
https://agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2022-01/rayssa-leal-fatura-stu-de-criciuma-1a-etapa-do-circuito-brasileiro

O domingo (16) foi bom para Rayssa Leal, de 13 anos, que conquistou o título do skate street do STU de Criciúma (SC), etapa de abertura do circuito nacional skate de 2022. Medalha de prata na Olimpíada de Tóquio (Japão), a maranhense de Imperatriz superou na superfinal a paulista Pâmela Rosa, bicampeã mundial, ao alcançar 15.24 pontos. Pâmela terminou em segundo lugar (14.08) e Gabi Mazetto em terceiro (9.38). O evento ocorreu sob forte calor e com presença de público no Parque Municipal Prefeito Altair Guidi, cuja pista é considerada uma das mais modernas do país pela Confedração Brasileira de Skate (CBSk).







Antes da superfinal, que reuniu as quatro melhores do street do STU Criciúma, oito atletas disputaram a final. Marina Gabriela avançou à superfinal junto com  Rayssa,  Pâmela, e Gabi. As outras quatro - Giovana Dias, Karen Feitosa, Rafaela Murbach, Virgínia Fortes Água -  foram eliminadas.



Na disputa masculina, quem brilhou foi o cerarense Lucas Rabelo, de 22 anos, campeão do STU Open Rio no ano passado. O skatista conseguiu na superfinal nota 8.81, a mais alta da etapa e travou disputa acirrada com o paranaense Wilton Souza que cravou 8.21.  Mas na soma final Rabelo levou a melhor com nota final 23.33, se sagrando campeão da primeira etapa do circuito nacional de street. Souza terminou em segundo e Eduardo Neves em terceiro.






Fonte: https://agenciabrasil.ebc.com.br/esportes/noticia/2022-01/rayssa-leal-fatura-stu-de-criciuma-1a-etapa-do-circuito-brasileiro
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Prefeitura tem responsabilidade no crescimento de casos da dengue em Araraquara?

68.7%
31.3%
0%