16/09/2020 às 11h40min - Atualizada em 16/09/2020 às 10h36min

Planejamento pode ser o segredo para o esperado acesso da Ferroviária

Por Guilherme Henrique Moro

Após uma campanha razoável no Paulistão, a Locomotiva vai disputar pelo terceiro ano consecutivo o Campeonato Brasileiro da Série D. Favorita ao acesso, a Ferroviária aparentemente se reestruturou após um início de ano extremamente conturbado, em que a equipe demitiu o técnico Marcelo Vilar, antes mesmo de sua estreia e, posteriormente, Sérgio Soares, ainda em Março. As trocas constantes no comando técnico podem também estar relacionadas com a compra do clube pelo investidor Saul Klein, em novembro de 2019.

Com a chegada do técnico Dado Cavalcanti, o time volta a adotar o perfil de jogo utilizado nos últimos anos, priorizando a posse de bola e fazendo transições rápidas ao ataque. A Ferroviária anunciou 15 reforços para a disputa do segundo semestre, mas teve algumas baixas importantes como o atacante Felipe Ferreira (emprestado ao Cuiabá) e o meia Claudinho (vendido ao Cruzeiro), revelação da Locomotiva no Paulistão deste ano. Vale ressaltar que o clube grená realizou uma campanha histórica na Copa do Brasil deste ano, mas acabou sendo eliminado na terceira fase do torneio, pelo América-MG..

O clube araraquarense disputou a Série D de maneira consecutiva em 2018 e 2019, sendo as duas campanhas decepcionantes para os afeanos. Sendo assim, por que esperar que a Locomotiva se de bem neste ano e conquiste o tão sonhado acesso à Série C? A resposta é simples: planejamento.

O que vimos nas duas últimas temporadas foi um despreparo para o segundo semestre, montando um time para a disputa do Paulistão que era praticamente desmontado para a disputa da Série D. Os elencos que disputaram o torneio nacional eram de qualidade técnica muito inferior ao do estadual. Sendo eliminada de maneira precoce nos dois últimos anos, restou para a Locomotiva à disputa da Copa Paulista, torneio que a torcida aprendeu a gostar, mas não aguenta mais. É bom destacar que o clube chegou a final do torneio em três anos consecutivos: 2016, 2017 e 2018, conquistando o título no ano de 2017. A equipe também irá disputar a Copa Paulista nesta temporada, utilizando o sub-20 e algumas peças do profissional. 

Neste ano, a Ferroviária contratou muitos reforços para o restante da temporada e perdeu alguns nomes importantes, que disputaram o Campeonato Paulista e seriam úteis para o restante do ano. Porém o clube manteve seu “esqueleto” confirmando a permanência de líderes como Tony e Saulo, além de jogadores queridos da torcida como Hygor e Fellipe Mateus. Os atletas que chegam a Locomotiva neste ano são mais qualificados que os do segundo semestre de anos anteriores. Dudu Vieira, Tiago Marques, Bruno Menzenga, Branquinho e Anderson Salles são apenas alguns com maior qualidade técnica que foram trazidos.

Um contraponto importante em meio a esse otimismo é a perda de jogadores importantes do elenco para o rival Mirassol, que também disputa a Série D. O lateral Alisson Pira, o zagueiro Élton e o meia Léo Artur são alguns dos nomes que não renovaram ou rescindiram contrato com a Locomotiva, partindo então para o Leão da Alta Araraquarense. O clube pode ser uma grande barreira nos trilhos da locomotiva ao decorrer da competição.

As expectativas de todos ao redor do clube são enormes. Tudo indica que a querida “Ferrinha” finalmente consiga o acesso e tenha um calendário mais estável nos próximos anos. A estreia será no próximo sábado (19) diante do Nacional-PR, fora de casa. O clube realizou quatro jogos-treino visando à preparação para a comparação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Zap
Atendimento
Oi, eu sou Willian Oliveira. Precisa de ajuda? Aqui você pode sugerir pauta, falar com nosso departamento comercial, estamos a sua disposição