06/05/2021 às 12h42min - Atualizada em 06/05/2021 às 12h42min

Mais uma creche tem positivação de coronavírus em Araraquara

Comunicado foi feito pelo Sismar; Segundo o sindicato, uma merendeira e uma agente educacional testaram positivo

Mais uma unidade escolar de Araraquara teve casos de coronavírus descobertos em servidores. Desta vez, uma merendeira e uma agente educacional do CER Cyro Guedes Ramos, no Santa Angelina, foram positivadas com a doença. A informação foi confirmada pelo Sismar (Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região) por meio das redes sociais nesta quinta-feira (6). 

Segundo o sindicato, as positivadas foram levadas para uma UPA da cidade. Uma das servidores teria passado mal ao receber a notícia de que estava com a doença. Ainda de acordo com o Sismar, mais testes serão feitos durante a tarde. 

Ao publicar e informar a situação no CER, o sindicato ainda denunciou duas situações. "
Servidores receberam ordens para não comunicar os pais dos alunos. Mesmo com as duas positivadas tendo trabalhado na unidade no período da manhã, os demais servidores foram mantidos na escola, não foram dispensados".

Caso as contaminações sejam confirmadas pela Prefeitura de Araraquara, conforme o decreto, a unidade deveria ficar fechada.

O que diz a Prefeitura


A Prefeitura de Araraquara foi procurada pela nossa equipe e divulgou uma nota, veja abaixo:

Nesta quinta-feira, 6 de maio, durante a testagem regular dos servidores da unidade, foram detectadas duas agentes positivadas – uma agente social, lotada no setor de alimentação escolar, e a outra agente educacional.

A comunicação da ocorrência pela equipe da enfermagem foi feita por volta das 9h50.

Desde então, conversamos com as servidoras e uma delas ficou preocupada e impactada com a notícia.

Realizamos os comunicados e contatos com a gerência especial de monitoramento da COVID-19, para educação a infantil, conforme procedimentos definidos quando há ocorrência de casos de positivação.

Tomamos decisão de suspender a alimentação por ter sido feita na cozinha pela servidora que fora positivada, por volta das 10h15.

O horário de saída das crianças nesta semana está sendo feito às 10h30.

Em menos de meia hora tivemos a comunicação dos resultados, a conversa com as servidoras que positivaram, a comunicação à secretaria, a decisão de suspender alimentação, a realização de conversa com as agentes e professoras e a saída das crianças. Não houve toda a resposta necessária e nem tempo hábil para fazer um comunicado oficial da escola aos país. Pedi às professoras e agentes que os país não fossem comunicados no portão, que faríamos a comunicação oficial às famílias. Nossa decisão se sustentou pela convicção de que temos de ter responsabilidades na nossa comunicação e na maneira com que a fazemos. Em nenhum momento houve proibição de comunicar aos país, mas o pedido para aguardar a comunicação oficial. É importante que isso seja reforçado para que acusações não apuradas sejam propagadas como se verdadeiras fossem.

É importante ressaltar ainda que está sendo veiculado que a escola não dispõe de tapetes sanitizantes, de suporte de álcool em gel nas entradas e de termômetros. Temos esses equipamentos na escola em uso desde o primeiro dia de aula. Todos os dias são medidas as temperaturas dos funcionários e das crianças. As mochilas das crianças são higienizadas com álcool. Os tapetes estão nas quatro entradas da escola. Há totens de álcool gel nas entradas. A existência desses equipamentos e procedimentos podem ser confirmadas pelos familiares que têm trazidos suas crianças, além dos membros da nossa equipe.

Neste momento, necessitamos de informações responsáveis para que boatos e distorções sejam evitados.

No final do processo de testagem, dois casos foram positivados e, por isso, em cumprimento ao decreto municipal em vigor, a unidade não fará atendimentos presenciais nos próximos 7 dias.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »