17/08/2021 às 17h03min - Atualizada em 17/08/2021 às 17h03min

Reeducandos de Araraquara cursam ensino superior em busca de um recomeço de vida

Reeducandos começaram a reescrever uma nova história

Divulgação
Desde o início de agosto, reeducandos de Araraquara buscam não apenas um diploma universitário, mas também um recomeço de vida. No Centro de Ressocialização (CR) Masculino da cidade, 15 detentos estão inscritos cursam ensino superior a distância.

O projeto acontece após o Centro Universitário de Lins (Unilins) firmar, por meio da Fundação “Prof. Dr. Manoel Pedro Pimentel” (Funap), uma parceria inédita com 12 unidades prisionais instalar em oito cidades, entre elas, Araraquara. No total, o projeto atende 280 reeducandos, que começaram a reescrever uma nova história. 

O projeto 

O projeto oferece, sem custo algum, curso superior de Tecnólogo em Logística para reeducandos e reeducandas dos regimes semiaberto e fechado, totalizando 16 turmas, com duração de quatro semestres. As aulas abordam disciplinas como Empreendedorismo, Gestão de Pessoas, Economia e Mercado, Gestão de Estoques e Operações, Administração da Produção e Materiais, entre outros.

Durante a participação no projeto, o detento que obtiver o direito à liberdade, por exemplo, manterá a bolsa integral e poderá continuar os estudos fora do sistema prisional. O curso é oferecido na modalide Ensino a Distância (EaD) offline. Assim, não há a necessidade de acesso à Internet para acompanhar o conteúdo. As aulas acontecem de segunda a sexta-feira e duram duas horas. Nesse período, os alunos assistem aos conteúdos propostos, realizam a leitura do livro didático, debatem sobre o tema apresentado e anotam eventuais dúvidas e dificuldades para que sejam encaminhadas ao tutor da disciplina.

Juliano Cesar Germano cumpre pena no CR de Araraquara. Ele é um dos reeducandos que aproveitaram a oportunidade de estudo para trilhar novos caminhos. “Sei que, ao ganhar a liberdade, terei um certificado de curso superior e poderei ser aceito no mercado de trabalho. Acredito que este projeto mudará a minha vida”, comemora.
 
Coordenador das unidades prisionais da Região Noroeste, Carlos Alberto Ferreira de Souza ressalta que a parceria com a Unilins inaugura uma nova fase no processo de ressocialização das pessoas privadas de liberdade no Estado de São Paulo. “Que seja o início de muitas outras e que essa oportunidade de crescimento e igualdade se espalhe no coração de todas e todos”.
 
Unidades     

O projeto atende os centros de Progressão Penitenciária (CPPs) I (Dr. Alberto Brocchieri) e II (Dr. Eduardo de Oliveira Vianna) de Bauru; CR de Lins; CR de Marília, Penitenciária de Marília; penitenciárias I (Dr. Walter Faria Pereira de Queiróz) e II (Luiz Gonzaga Vieira) de Pirajuí; Penitenciária Feminina de Pirajuí; Penitenciária I “Rodrigo dos Santos Freitas” de Balbinos; Penitenciária I “Tenente PM José Alfredo Cintra Borin” de Reginópolis; Penitenciária “Valdic Junio Alves Primo” de Avanhandava; e CR Masculino de Araraquara.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Prefeitura tem responsabilidade no crescimento de casos da dengue em Araraquara?

67.4%
32.6%
0%