21/08/2021 às 11h55min - Atualizada em 21/08/2021 às 11h55min

Entenda como evitar problemas de disfunção erétil masculina

Urologista recomenda quando se deve buscar ajuda profissional e quais os grupos de risco mais afetados pelo problema

Direto da Redaçã
Foto: Canva/ Ilustração

Embora seja comumente associada aos homens da terceira idade, a disfunção erétil masculina é um problema que pode acometer homens ainda jovens, caso não sejam tomados os cuidados de prevenção necessários.

 

Para o urologista Rodrigo Luiz Quarteiro, as medidas mais efetivas para evitar a situação envolvem a adoção de um estilo de vida saudável.


“Buscar uma dieta adequada aliada a uma rotina de exercícios físicos regulares podem garantir uma boa saúde sexual, assim como evitar excessos com o álcool e não fumar. Consultas frequentes a um urologista também ajudam a manter uma adequada regulagem dos hormônios em dia”, explica o especialista.


Quarteiro também comenta que apesar da impotência sexual ser um problema físico, quase 100% dos casos também envolvem problemas psicológicos.

 

Um fator acaba desencadeando o outro, então o ideal é que o tratamento do corpo venha acompanhado de um auxílio terapêutico que possa lidar com a recuperação total do paciente.”


No que diz respeito ao tratamento urológico, Quarteiro ressalta que a primeira opção são as medicações como o Viagra, porém, caso não resulte efeitos, o médico pode indicar a injeção de Caverject com uma agulha de insulina dentro do corpo cavernoso do pênis para que se volte a ter ereção e uma consequente vida sexual saudável.


“Diabéticos e obesos costumam ser um grupo de risco mais afetado pela disfunção erétil, pois essas doenças lesam o nervo do pênis, impedindo um efetivo tratamento com qualquer tipo de medicamento. Nesses casos, as próteses penianas rígidas ou insufláveis podem ser uma opção para manter as relações sexuais”, diz o médico.



Ideal é que o tratamento do corpo venha acompanhado de um auxílio terapêutico que possa lidar com a recuperação total do paciente”, diz Quarteiro

 


Independente do cenário, o mais recomendado é sempre buscar um urologista na primeira falha erétil e iniciar o tratamento.

 

O especialista pode até mesmo coordenar uma reposição de testosterona que combata a queda de libido e impotência, um processo que rejuvenesce a vida sexual dos pacientes”, orienta Quarteiro.

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »