09/04/2020 às 17h44min - Atualizada em 09/04/2020 às 17h44min

Quarentena faz preço de ovos de Páscoa despencar em Araraquara

Até o surgimento do novo coronavírus, o varejo araraquarense apresentava ótimas expectativas de desempenho para a Páscoa de 2020. Em fevereiro, a confiança e a intenção de consumo das famílias registraram seus melhores resultados desde 2015, segundo dados da FecomercioSP, que apontavam uma melhora nas expectativas de faturamento em relação ao ano passado. No entanto, o levantamento feito em março pela instituição já absorve os primeiros impactos da pandemia e a conclusão é de que as vendas devam sofrer certa desaceleração, vítima da queda de 5,5% na confiança do consumidor. Com a intenção de apreender a percepção dos lojistas sobre o desempenho do varejo durante as últimas semanas que antecedem a Páscoa, o Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara entrevistou representantes de nove supermercados da cidade, para assim, tomar conhecimento de como os acontecimentos recentes do novo coronavírus vêm impactando as vendas nesta data tão importante para o comércio. O levantamento revelou a ocorrência de elevação geral nas vendas, principalmente a partir da terceira semana de março. No entanto, esse aumento esteve concentrado nos produtos essenciais, o que causou escassez pontual de alguns itens em 87,5% dos supermercados. Os outros 12,5% dos estabelecimentos afirmaram não ter faltado nada em suas prateleiras. Perguntados se essa maior procura causou algum impacto sobre os preços, 66,7% dos representantes responderam que houve encarecimento dos itens cuja escassez foi relatada, enquanto 33,3% afirmaram não ter havido variação nos preços. Em relação a compra dos itens de Páscoa, projetando um cenário melhor que o logrado em 2019, 62,5% dos supermercados apostaram em um nível de estoque maior ou igual ao do ano passado, sobretudo dos ovos de chocolate, enquanto 37,5% optaram por reduzir seus estoques. A oferta de produtos relativamente maior somada a queda de demanda ocasionada pelo início do isolamento social pressionou os preços para baixo, principalmente entre a última semana de março e primeira semana de abril, quando as promoções nos itens de Páscoa se intensificaram. O levantamento também acompanhou a variação no preço dos ovos de Páscoa entre os dias 5 de março e 2 de abril. Foram avaliados 65 modelos, de 11 marcas diferentes, nos nove supermercados da cidade que abrangem a pesquisa da cesta básica do Sincomercio. Assim, utilizando os preços da primeira semana de abril como referência, os ovos foram segmentados em três categorias, segundo o seu peso em quilogramas, e calculados os seus valores médios. Avaliando o público alvo a que se destinam, a variação observada nos preços dos ovos infantis chegou -10,5%, onde o menor valor praticado foi de R$ 5,59 e o maior de R$ 65,90, ambos para o tamanho pequeno. Enquanto que a queda nos preços foi maior nos itens destinados ao público adulto, cuja redução foi de -11,8%. O menor preço registrado foi de R$ 18,90 para o tamanho pequeno, ao passo que o maior valor (R$ 89,99) foi aplicado para os ovos de tamanho grande. Desconsiderando as diferenças de tamanho, público alvo e a inclusão ou não de brindes, foi constatada redução de 12,5% no valor médio dos ovos, que passou de R$ 43,18 na primeira semana para R$ 37,81 na última semana. Segundo o estudo da Fecomercio-SP, o preço das barras de chocolate e dos bombons estariam até 8% mais baratas em comparação com o mesmo período do ano passado. Fazendo uma estimativa que compara o quanto o consumidor gastaria comprando 1 quilo de chocolate adquirindo barras ou ovos de Páscoa, a diferença alcança até 429,6%. Levando em conta o preço médio dos ovos e das barras de chocolate coletados na pesquisa, a economia pode chegar a R$ 116,30. Para Marcelo Cossalter, pesquisador do Núcleo de Economia do Sincomercio, se o objetivo é desfrutar da Páscoa sem comprometer o orçamento, o indicado é realizar pesquisa de preço em diferentes mercados, uma vez que o levantamento mostrou que há variações no valor em ovos da mesma marca. “Comprar utilizando as plataformas virtuais dos supermercados também é uma boa opção, pois evita aglomerações, algo importante a ser praticado no momento. Outra vantagem é que alguns estabelecimentos têm adotado promoções para quem opta em fazer compras pelo site”.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você concorda com as medidas adotadas por Manoel em Boa Esperança do Sul?

42.1%
0.3%
56.3%
1.3%

Você é favorável a um novo lockdown na cidade de Araraquara?

52.7%
47.2%
0.0%
Fale pelo Zap
Atendimento
Oi, eu sou Willian Oliveira. Precisa de ajuda? Aqui você pode sugerir pauta, falar com nosso departamento comercial, estamos a sua disposição