Araraquara Agora Publicidade 1200x90
Araraquara Agora Publicidade 728x90
17/05/2022 às 06h43min - Atualizada em 17/05/2022 às 06h43min

Comissão técnica investigará mortes e casos graves de dengue em Araraquara

Cidade registrou mais dois óbitos e já contabiliza 12 mortes em 2022

Direto da Redação
Reuters/ Paulo Whitaker

A Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara criará uma Comissão Técnica de Investigação de Agravos Relacionados às Arboviroses, para investigar os casos mais graves e de mortes decorrente de dengue, registrados em 2022.


A Comissão será criada por meio do decreto municipal nº 12.874, publicado em 13 de maio de 2022. O documento aponta que é objetivo dessa comissão atuar na assistência ao paciente e vigilância epidemiológica de arboviroses, que são doenças causadas por vírus transmitidos, principalmente, por mosquitos, além de ações de campo relativas ao controle vetorial, intersetorialidade, comunicação, mobilização social e educação em saúde.

 

A médica Talitha Martins, secretária municipal de Saúde interina, explica que essa Comissão deverá avaliar por que a dengue está exigindo mais assistência médica, com mais casos de internações, e se os óbitos já registrados estão relacionados a outras doenças, entre elas a Covid-19.

 

Observamos neste ano o aumento expressivo de casos de dengue e também maior taxa de morbimortalidade comparado aos anos anteriores na cidade. A maioria das pessoas que vieram a óbito esse ano por causa da dengue era idoso, com comorbidades, internada na rede particular. Aprimorando as investigações e conhecendo mais a fundo os casos, poderemos adotar novos procedimentos e tomar medidas voltadas para esse público específico”, explica a secretária.

 

 

Mortes

 

Até o momento, foram registrados em Araraquara 12 óbitos decorrentes de dengue neste ano.


Os últimos óbitos confirmados por dengue são de uma idosa de 82 anos, com comorbidades, que foi internada em unidade da rede particular e faleceu no último dia 7 de abril. E um idoso de 83 anos, também com comorbidades, que faleceu em sua residência no dia 25 de abril.

 

Os dois casos estavam sendo investigados pelo Serviço de Verificação de Óbitos (SVO). Desses óbitos, 3 pessoas estavam internadas em unidade hospitalar pública, e 8 em unidade particular.

 

Todos os casos já estão sendo avaliados pela Comissão Técnica de Investigação de Agravos Relacionados às Arboviroses, assim como os casos de maior gravidade registrados no município.

 

Ainda de acordo com os números divulgados nesta segunda-feira (16) pela Vigilância, foram registrados 7.506 casos confirmados da doença neste ano. Foram 150 casos em janeiro, 701 casos em fevereiro, 4.094 em março, 2.399 em abril e 162 em maio. Neste ano, doze óbitos causados pela dengue foram registrados em Araraquara.

 

Ações de Combate em cinco bairros

 

Nesta terça-feira (17), os agentes de combate a endemias da Vigilância Epidemiológica realizarão trabalhos de vistoria casa a casa em busca de possíveis criadouros nos seguintes bairros:

 

  • Vila Xavier;
  • Carmo;
  • São José;
  • Jardim Adalgisa.

 

Já a nebulização passará pelo Jardim Nova Época, enquanto o fumacê será realizado no Jardim Universal.


Os agentes de combate a endemias da Vigilância Epidemiológica trabalham sempre uniformizados, com camiseta cinza e colete marrom, além de circularem em carros oficiais. É importante observar a identificação do agente e autorizar a sua entrada.

 

Em caso de dúvida, o morador também pode ligar no Controle de Vetores, nos telefones 3303-3123 e 3303-3124. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone da Ouvidoria da Vigilância Epidemiológica, que é o 0800-7740440, ou no WhatsApp da Prefeitura, o (16) 99760-1190.


O descarte irregular de lixo, resíduos sólidos, volumosos (sofás, poltronas e colchões) e queimadas em área urbana e rural também causam danos à saúde e ao meio ambiente. A denúncia aos órgãos oficiais pode ser feita pelo telefone 0800 770 1595.



Vale lembrar que os sintomas de dengue são febre, dor no corpo, dor de cabeça, dor atrás dos olhos e manchas pelo corpo. No momento em que o paciente procurar o atendimento, ele deve levar RG, Cartão SUS e um comprovante de endereço com CEP.


Atendimento

O Centro de Atendimento de Dengue funciona no hospital de campanha, diariamente, inclusive finais de semana e feriados, das 7h às 21h. E todas as unidades de saúde do município também atendem casos suspeitos de dengue – os postos funcionam de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h30, e as UPAs, 24 horas por dia.


Vale acrescentar que a UPA da Vila Xavier, que desde o início da pandemia de Covid-19 atendia exclusivamente casos da síndrome gripal, já retomou o atendimento de outras patologias, inclusive dengue.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »