12/08/2022 às 11h58min - Atualizada em 12/08/2022 às 11h58min

Arteris prepara instalação de três radares em trecho mortal da SP-255

Trecho da rodovia que liga Araraquara e Ribeirão Preto tem registrado muitas mortes, uma delas, a do filho do jornalista Baldassari

Três radares fixos estão sendo implantados pela Arteris em um trecho mortal da SP-255, entre Araraquara e Ribeirão Preto. A informação foi confirmada pela concessionária da rodovia nesta sexta-feira (12). 

Conforme informado pela Arteris, os radares estão sendo instalados nos kms 77,5 (norte), 80,7 (sul) e 80,93 (norte) da SP-255. O trecho é considerado mortal entre motoristas e, recentemente, registrou o trágico acidente que matou o filho do jornalista Carlos Baldassari, Tiago Baldassari. Na época, o profissional descobriu o falecimento do próprio filho durante uma reportagem ao vivo pela internet. 



De acordo com a Arteris, os equipamentos ainda não estão em funcionamento e passarão por um período de testes. A previsão de início de operação, segundo a concessionária, é dezembro de 2022, com a aplicação de multas aos motoristas que ultrapassarem o limite da via. 

Além disso, outros pontos devem receber a instalação de radar fixo no trecho após as obras de duplicação no trecho, do km 73 ao km 77. 

Trecho mortal

Um levantamento feito pelo portal Araraquara Agora em junho deste ano apontou que o trecho com menos de três quilômetros da SP-255, entre Araraquara e Ribeirão Preto, matou ao menos 45 pessoas desde 2015. 

Foram 45 mortes entre janeiro de 2015 a fevereiro de 2022, segundo dados Infosiga, base de dados do Governo de São Paulo. O portal Araraquara Agora levou em consideração apenas as mortes registradas a partir do trevo de acesso a Avenida Abdo Najin, que liga a rodovia ao Parque São Paulo e Vila Xavier, ao pontilhão que dá acesso a Rodovia José Barbanti Neto, que liga a SP-255 até Américo Brasiliense, bem perto da Usina Maringá.

O que mais chama atenção é que o trecho, com aproximadamente 2,8 quilômetros, tem terceira faixa para quem segue sentido Ribeirão Preto, boa visibilidade, pista plana e ótima sinalização. 

A pesquisa do portal Araraquara Agora ampliou o estudo em mais 6 quilômetros para compilar as mortes registradas do local do acidente desta manhã (trevo de acesso a Vila Xavier e Parque São Paulo), até o trevo da Sachs, principal entrada de Araraquara. Nesses pouco mais de 9 quilômetros, 103 pessoas morreram nos últimos 6 anos em acidentes de trânsito. 

Só do trevo de acesso a Vila Xavier até o trevão da Sachs foram 58 mortes segundo o Infosiga. Esses números são ainda mais preocupantes se levarmos em consideração que nessa área especificamente a pista já é duplicada, tem canteiro central e até passarela para a travessia de pedestres.
 

Acidente com mais vítimas fatais
 

O acidente com mais vítimas fatais no trecho aconteceu em 2017, quando um ônibus praticamente passou por cima de um fusca.

A colisão causou a morte de 6 pessoas que estavam no fusca. Apenas o motorista do carro conseguiu sobreviver. 

No fusca estavam membros de uma mesma família que voltavam de um culto evangélico. O ônibus de turismo colidiu na traseira do carro.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »