Araraquara Agora Publicidade 728x90
23/03/2020 às 08h08min - Atualizada em 23/03/2020 às 11h52min

Vacinação contra a gripe começa com grande procura entre os idosos de Araraquara

Antes mesmo dos portões do Serviço Especial de Saúde (Sesa) de Araraquara abrirem, já havia uma fila de idosos em busca da vacina contra a gripe. Cenário bem diferente de anos anteriores quando era necessaria uma verdadeira mobilização para conseguir trazer o público alvo para receber a dose. Araraquara quase nunca consegue atingir a meta de imunização. Esse ano pode ser diferente e o coronavírus tem responsabilidade nisso. A vacina não proteja contra a doença que tomou o planeta e já matou quase 5 mil pessoas, mas com os idosos imunizados contra Influenza, fica mais fácil o diagnóstico quando procurarem uma unidade de saúde. Para atender a demanda os profissionais do Sesa montaram uma estrutura com tendas no fundo da unidade. Entram três idosos por vez para evitar aglomeração. Do lado de fora a fila parece maior é que eles também precisam fica a cerca de dois metros de distância uns dos outros, por precaução. "Eu sou teimosa e acho que tomei essa vacina umas duas vezes só. Esse ano minha filha me obrigou, mas já ia tomar porque a coisa está feia no mundo", disse dona Lourdes Pacino Biavatti, de 68 anos. Ela está no grupo de risco tanto para o coronavírus quanto pra complicações provocadas pelo vírus Influenza. "Esse ano não deixei nem argumentar, peguei pelo braço e trouxe aqui pra vacinar" contou Ana Maria Biavati, a filha da dona Lourdes. De acordo com Ministério da Saúde, nesta primeira etapa os públicos prioritários são idosos e trabalhadores da saúde. Mais duas etapas serão realizadas para públicos diferentes.
Ao todo, a campanha pode atingir cerca de 67,6 milhões de pessoas em todo o país. A meta é vacinar, pelo menos, 90% de cada um desses grupos até o dia 22 de maio. Para alcançar esse público foram investidos R$ 1 bilhão na aquisição de 75 milhões de doses da vacina. O dia “D” de mobilização nacional para a vacinação acontece em 9 de maio (sábado). Nessa data, os 41 mil postos de saúde ficarão abertos para atender a todos os grupos prioritários. Neste ano, a campanha foi antecipada de abril para março para reforçar a proteção aos públicos prioritários contra os vírus mais comuns da gripe.

Novo coronavírus

A vacina contra influenza não tem eficácia contra o coronavírus. No entanto, em virtude da pandemia de coronavírus, poderá auxiliar profissionais de saúde na exclusão do diagnóstico para o covid-19, já que os sintomas são parecidos. Segundo o ministério, casos mais graves de infecção por coronavírus têm sido registrados pelo mundo em pessoas acima de 60 anos, grupo que corresponde a 20,8 milhões de pessoas no Brasil. Por isso, a primeira etapa da campanha contempla esse público.

Próximas etapas

A etapa seguinte da campanha terá início no dia 16 de abril, com o objetivo de vacinar doentes crônicos, professores (rede pública e privada) e profissionais das forças de segurança. A última fase, que começa no dia 9 de maio, dará prioridade a crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade. Até o momento, o Ministério da Saúde enviou aos estados 15 milhões de doses e mais 4 milhões serão distribuídas até o fimde março. A vacina, composta por vírus inativado, é trivalente e protege contra os três vírus que mais circularam no Hemisfério Sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). Com informações da Agência Brasil

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90