16/06/2021 às 16h22min - Atualizada em 16/06/2021 às 16h22min

Mancha Araraquara consegue regularizar contas e sonha com a volta dos desfiles de Carnaval

Mancha espera voltar a reunir pessoas, quando houver segurança e vacina para todos

Quando a pandemia começou no Brasil, no ano passado, pouco se sabia sobre o vírus e suas implicações em nossa economia, na saúde e até mesmo em nossa cultura.
A doença que dizimou quase 500 mil brasileiros, fez famílias chorarem a perda de seus entes queridos e a economia virar de ponta cabeça.

O isolamento social fechou estabelecimentos por longos períodos, tão longos que alguns não conseguiram mais abrir suas portas. O setor cultural sofreu um baque enorme, todos os eventos cancelados e a maioria deles ainda estão proibidos de acontecer. Enquanto a vacina não chegar para boa parte dos brasileiros, alguns segmentos continuarão vivendo momentos de incerteza e desespero.

Um deles é o do Carnaval. Em todo o Brasil a festa mais esperada e que reúne mais pessoas foi cancelada. Os tradicionais blocos de rua, as marchinhas e, claro, os desfiles, não coloriram as ruas.

Em Araraquara não foi diferente. “Não era mesmo o momento. Sofremos gravemente as consequências, mas entendemos as prioridades, era preciso focar em salvar vidas, somos conscientes disso”, conta Adriano da Mancha, presidente da Mancha Araraquara, uma das mais tradicionais escolas de samba da cidade.

O barracão, localizado em uma pequena rua do Jardim Cruzeiro do Sul só não fica mais vazio porque a quadra, antes quase sempre lotada de foliões, ainda guarda os resquícios de carnavais passados. Fantasias, adereços e alegorias que contaram belas histórias na avenida aguardam pacientes pela volta da festa de momo.

“Isso aqui é nossa vida. Temos um carinho, um amor pelo Carnaval, pelo que ele significa que é inexplicável. Não é só o momento do desfile, tem a união da comunidade, a dedicação das pessoas e a recompensa em ver todo mundo cantando e se divertindo com o resultado do nosso trabalho”, diz Adriano.

Preparado para 2022



Se o Plano Nacional de Imunização for cumprido, até o final do ano todos os adultos estarão vacinados com duas doses e protegidos contra o coronavírus.

É o que espera Adriano. “Nós já temos enredo, o samba, o esquema das alegorias, está tudo pronto, só precisamos ter certeza que será seguro, que todos poderão se divertir sem medo e que tenhamos incentivo para voltar a fazer a alegria das pessoas em Araraquara”, adianta o carnavalesco.

Contas aprovadas

Em 2016 as escolas de samba de Araraquara sofreram um baque ao receber da Prefeitura cerca de R$ 37 mil para a realização do carnaval e depois terem suas contas rejeitadas, o que impediu as agremiações de novamente receberem o aporte financeiro nos anos seguintes.

“Nenhuma escola estava preparada. Fomos pegos de surpresa com as mudanças na legislação. Por sorte a Mancha sempre fez tudo certinho, tínhamos notas fiscais, todos os comprovantes de pagamento e de despesas. Para colocar nosso carnaval de pé gastamos muito mais do que isso, graças a ajuda da comunidade, das empresas e parceiros que acreditam no Carnaval e no bem que ele faz para nosso país”, lembra Adriano da Mancha.

Apesar de ter a comprovação do uso dos recursos o caso foi parar na Justiça e só agora teve um desfecho. “Graças a Deus conseguimos provar que tudo que fizemos foi dentro da lei, para levar alegria para as pessoas e unir a comunidade em torno de um projeto cultural”, comemora Adriano.

Novos planos



Com a expectativa de que tempos melhores virão a Mancha Araraquara já se organiza para voltar com as ações que dão sustentação a escola de samba ao longo do ano. 

“Esperamos em breve poder voltar a reunir as pessoas, quando houver segurança e vacina para todos, estamos desenvolvendo oficinas culturais para ensinar os jovens a trabalhar e porque não a viver do carnaval, tem muita coisa por vir”, planeja o carnavalesco.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »