05/05/2020 às 12h23min - Atualizada em 04/05/2020 às 22h57min

Cidades da região também podem receber ajuda financeira do governo federal

Por Rian Fernandes

Foi aprovado no Plenário do Senado no último sábado (2) o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, que ajudará financeiramente estados e municípios com R$ 125 bilhões para combater a pandemia da COVID-19. A sessão registrou a presença de 81 senadores, sendo que 79 votaram favoravelmente ao auxílio contra apenas um. O tema agora segue em votação para a Câmara dos Deputados. 

Das cidades da região, São Carlos receberá o maior valor, sendo R$ 28.184.550,43, seguida por Matão, com pouco mais de R$ 9 milhões. Enquanto isso, Trabiju é o município com menor quantia prevista, com R$ 192.831,12. O portal Araraquara Agora já destacou sobre a quantia que Araraquara pode receber em outra notícia que pode ser acessada clicando aqui.

Confira a relação com cidades da região e valores que cada uma poderá receber elaborada pelo Araraquara Agora com informações da Agência Senado:

Américo Brasiliense R$ 4.530.412,89
Boa Esperança do Sul R$ 1.669.152,47
Gavião Peixoto R$ 535.654,44
Guariba R$ 4.485.784,34
Ibaté R$ 3.926.417,49
Matão R$ 9.302.647,63
Motuca R$ 532.187,06
Nova Europa R$ 1.251.165,28
Ribeirão Bonito R$ 1.478.558,36
Rincão R$ 1.207.878,94
Santa Lúcia R$ 986.190,26
São Carlos R$ 28.184.550,43
Trabiju R$ 192.831,12

O projeto deve encaminhar, no total, R$ 60 bilhões para estados e municípios em quatro parcelas, sendo que R$10 bilhões são para uso exclusivo na área da saúde e assistência social (R$ 7 bi aos estados e R$ 3 bi aos municípios). Já os outros R$ 50 bilhões são para uso livre (R$ 30 bi aos estados e R$ 20 bi aos municípios). 

Além disso, os estados e municípios serão beneficiados com mais R$ 49 bilhões por meio da suspensão de dívidas com a União e bancos públicos e outros R$ 10,6 bilhões pela renegociação de empréstimos com organismos internacionais, com aval da União. Os municípios ainda serão auxiliados com a suspensão do pagamento de dívidas previdenciárias que venceriam até o fim do ano.

A divisão por estado será feita por meio da arrecadação do ICMS, da população, cota no Fundo de Participação dos Estados e da contrapartida paga pela União pelas isenções fiscais relativas à exportação. Já entre os municípios, o valor será calculado dividindo os recursos por estado (excluindo o DF) com os mesmos critérios para repartir o valor estadual entre os municípios de acordo com a população de cada um.

Vale lembrar ainda que estados e municípios deverão privilegiar micro e pequenas empresas nas compras de produtos e serviços com os recursos liberados pelo projeto. 

A lista com outros municípios e mais informações sobre o tema você pode encontrar no site do Senado Federal (clique aqui)

 

Fonte: Agência Senado


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »