14/12/2021 às 15h13min - Atualizada em 14/12/2021 às 15h13min

Após cassação, Boa Esperança tem 4 novos vereadores; veja a lista

Fernando Gica, Jora Covo, Narciso e Som da Auto Elétrica deixam a Câmara

Após a cassação da chapa do Progressistas e, consequentemente, quatro vereadores da Câmara, Boa Esperança do Sul já tem os novos ocupantes da Casa de Leis. O resultado consta no site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e os candidatos estão como eleitos. 

Profª Cris Thomazini (MDB), Doradinho (DEM), Mauricio da Bebel (Cidadania) e Vanderlei Turmeiro (Solidariedade) são os novos ocupantes da Câmara de Boa Esperança do Sul. Todos já estão como eleitos no TSE. Veja abaixo: 



A cassação 

Todos os candidatos que participaram das eleições de 2020 pelo Progressistas (PP) em Boa Esperança do Sul foram cassados pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo. Entre eles, estão quatro vereadores que ocupam a Câmara Municipal. 

O julgamento aconteceu no dia 30 de novembro e o TRE deu provimento ao recurso para julgar procedente a ação do processo de percentual de gênero e candidatura fictícia, cassando as candidaturas de Maria Cristina Lopes dos Santos, Edson Rios, Narciso de Sousa Filho, Juraci Aparecido Covo, Fernando dos Santos Gica, Luiz Benedito Mascoti, Murilo Schmidtt, Marcio Benedito dos Santos, Jorge Eduardo Laureano, Jose Rodrigo da Silva Dias, Josefina De Bello, Neusa Alves Dos Anjos Barra e Cristiane Luzia Pereira da Costa Lobo, todos do Progressistas (PP).

O processo foi feito por candidatas de oposição, Cristiana Aparecida Thomazini (MDB) e Edilmeia Lellis Henrique (MDB), após uma postagem da candidata de Maria Cristina Lopes dos Santos (PP) nas redes sociais dizendo que entrou nas eleições apenas para ajudar. A mesma candidata obteve somente um voto no pleito. 

Entre os nomes dos envolvidos no processo e que tiveram os diplomas cassados, estão quatro vereadores: Edson Rios (Som da Auto Elétrica), Fernando dos Santos Gica (Fernando Gica), Juraci Aparecido Covo (Jora Covo) e Narciso de Sousa Filho (Narciso de Sousa). Todos compõem a base do Progressistas na Câmara. 

O Portal Araraquara Agora entrou em contato com o advogado de defesa dos vereadores para buscar mais esclarecimento e entendimento sobre a situação, assim como para compreender os próximos passos daqueles que ocupam a função pública por meio do voto dos moradores, no entanto, nossa equipe não obteve retorno. Ou seja, ainda não há declarações e manifestações que deixem claro se haverá ou não tentativa de reverter a decisão. Apesar disso, durante o processo, a defesa negou as acusações e a existência de uma candidatura fictícia. 

Além da cassação do diploma, o TRE também declarou a inelegibilidade de Maria Cristina Lopes dos Santos para os 08 (oito) anos subsequentes à eleição municipal de 2020. 

Cota de gênero nas eleições

A legislação que determina regras para as eleições estabelece que partidos ou coligações deverão preencher suas vagas de candidatura com “o mínimo de 30% e o máximo de 70% para candidaturas de cada sexo”.

Conforme o entendimento e julgamento do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, ficou comprovado que uma candidata participou das eleições pelo Progressistas apenas para preencher a cota de gênero pela legislação, tendo uma candidatura fictícia. 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »