21/05/2020 às 21h00min - Atualizada em 21/05/2020 às 19h42min

Contágio: O filme é de 2011 e nos mostrou o que iria acontecer em 2020

Por Wendel Colombo

Primeiramente o filme nos deixa vidrado com sua semelhança ao que estamos passando agora devido ao coronavírus. "Contágio" foi lançado em 2011, e nos trás um elenco e um a narrativa, que no início eu pensei que fosse um documentário. Tudo começa com um vírus que surge e rapidamente se espalha entre os humanos. O filme foi dirigido por Steven Sorderbergh (Taffic, Onze homens e um segredo), que no filme retrata o vírus de MEV-1. De fato, muitos elementos do filme, são muito parecidos ao Covid-19, e a forma como as pessoas vão se contaminando é exatamente parecida com a forma que nos contaminamos ao coronavírus. Uma das sensações que tive quando assisti ao filme, era de que estava vivendo aquilo de verdade, e vendo tudo que estava acontecendo, de forma clara, é possível perceber no filme também, alguns personagens que não acreditam no vírus, e tentam abafar pela mídia. Voltando ao filme, a paciente zero interpretada pela Gwyneth Paltrow, é mostrada como transmissora do vírus, depois de ter contato com garçons, tocar em coposo, maçanetas, taças, e conhecer pessoas em um restaurante. Representando a OMS na frente da pesuisa e a frente para eexplicar o surgimento do vírus está Dra. Mears (Kate Winslet), que também é infectada pelo mesmo. O filme nos mostra a rapidez com que o vírus infecta as pessoas, em meados do 26° da pandemia mais de 2 milhões de pessoas já morreram nos Estados Unidos (o que muita gente achou exagero), já que no filme a taxa de letalidade do vírus chega a 20% ou 30%, diferente do Covid-19 que estimasse que seja de 1%. Contágio também narra um dos personagens que eu mais tive ranço, e acredito que você leitor, quando assistir ao filme vai odiar, e vai lembrar-se de muita gente. Estou falando de Jude Law, que interpreta um Jornalista que propaga fakenews o que espalha mais ainda o pânico em pessoas. Jude até revela no filme, um remédio que ele diz ser a cura pra o vírus (Aqui no Brasil acrediram que a Cloroquina pudesse ser um medicamento eficaz para o tratamento do vírus). Jude em seu blog chega a acusar a OMS e a Governo de esconder detalhes da situação do vírus. O filme apenas peca no momento em que é revelado a vacina contra o MEC-1. A cientista que está a frente, acaba testado em si própria a vacina, o que é recomendado. O filme é realmente angustiante, e se você está passando por momentos não muito bons nessa quarentena, se está com medo, ou sofre de ansiedade recomendo que não assista ao filme, é realmente desesperador a forma como tudo acontece. No geral o filme é bom, super recomendo, e vale a pena se aprofundar no assunto, então aproveita que está em casa, chama a família,o filme dá uma boa lição de como nos prevenir nessa época de pandemia. Detalhe: Pra quem tem TV e Canal Pago o filme vai ao ar no canal CINEMAX nessa quarta as 22:00 horas. Texto por Wendel Colombo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »