23/03/2022 às 16h59min - Atualizada em 23/03/2022 às 16h59min

Araraquara passa a marca de 1400 casos de dengue; veja os números

Mais da metade dos casos foram registrados neste mês de março

A Prefeitura de Araraquara divulgou nesta quarta-feira (23) uma atualização dos casos de dengue na cidade. Já são mais de 1400 confirmações da doença na cidade ao longo do ano, sendo 743 somente neste mês de março.

"O balanço divulgado pela Vigilância nesta quarta-feira, 23 de março, aponta que Araraquara atingiu a marca de 1.420 casos confirmados de dengue em 2022. Foram 138 casos em janeiro, 539 casos em fevereiro e 743 em março", informou a prefeitura.

Três mortes por conta da dengue foram registrados neste ano em Araraquara. Apesar disso, a prefeitura destaca que o "total deste ano ainda está muito abaixo do registrado em 2019, quando o município enfrentou uma epidemia (com 23.134 casos registrados no ano inteiro e 16.911 entre janeiro e março), porém o índice de 2022 já está acima do registrado no ano todo de 2021". 

Vale lembrar que os sintomas de dengue são febre, dor no corpo, dor de cabeça, dor atrás dos olhos e manchas pelo corpo. No momento em que o paciente procurar o atendimento, ele deve levar RG, Cartão SUS e um comprovante de endereço com CEP.

Ações pela cidade


Nesta quinta-feira (23), os agentes de controle de endemias da Vigilância Epidemiológica realizarão trabalhos de vistoria casa a casa no Altos do Pinheiros, finalizando uma atuação que vem sendo realizada ao longo desta semana no bairro. O condomínio Damha II também terá o serviço concluído nesta quinta, quando as equipes também passarão pela Vila Ferroviária, Cecap, Jardim Brasil e Parque Gramado.

Repetindo a programação desta quarta (23), o Jardim Dom Pedro I receberá o serviço de nebulização, enquanto o fumacê passará pelo Jardim Nova América no período da manhã e pelo São José no período da noite.
 
O aumento do número de casos na cidade levou a Prefeitura a intensificar a atuação nos serviços voltados para a contenção da epidemia de dengue. O trabalho consiste em bloqueio aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e outras doenças como zika, chikungunya e febre amarela, além de orientações de prevenção.

Vale destacar que 80% dos criadouros de dengue estão nas residências. Em média, são visitadas 30 mil casas por mês. Em metade delas o trabalho não é concluído por falta de autorização para a entrada. As equipes inclusive fazem horário estendido (noturno) e plantões aos sábados na tentativa de minimizar essa questão. O descarte irregular de lixo, resíduos sólidos, volumosos (sofás, poltronas e colchões) e queimadas em área urbana e rural causam danos à saúde e ao meio ambiente. 
 A denúncia aos órgãos oficiais pode ser feita pelo telefone 0800 770 1595.

Os agentes estão identificados com crachá, camiseta cinza e colete marrom com brasão da Prefeitura e símbolo do SUS. Todos os profissionais que visitam as casas também utilizam máscaras no rosto para evitar a transmissão da Covid-19. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »