Araraquara Agora Publicidade 728x90
24/04/2023 às 09h59min - Atualizada em 24/04/2023 às 09h59min

Semana Mundial da Imunização: campanha reforça a importância da prevenção e controle de doenças

Especialista destaca a segurança proporcionada pelas vacina

Foto: Arquivo/ Prefeitura de Araraquara

Leia Ainda:
Entenda a importância da combinação entre espiritualidade e medicina durante o envelhecimento.
Poluição do ar causa piora de sintomas respiratórios em toda a população.




Criada pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a Semana Mundial da Imunização ocorre entre os dias 24 e 30 de abril e tem o objetivo de promover o uso das vacinas como instrumento de proteção contra doenças, em pessoas de todas as idades. Ainda segundo a entidade, a cada ano, milhões de vidas são salvas graças aos inúmeros esforços advindos das campanhas de vacinação.


O pneumologista Dr. Flávio Arbex ressalta a importância das vacinas para a proteção contra doenças e em contraposição ao impedimento do desenvolvimento humano.

 

São os imunizantes, tanto os criados em séculos anteriores, contra a varíola e a poliomielite, quanto os mais recentes, contra o coronavírus, que afastaram os fardos de doenças que custaram milhões de vidas e anos de atraso social.”



Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, a imunização previne, anualmente, de 2 a 3 milhões de mortes por doenças como difteria, tétano, coqueluche, gripe e sarampo. Atualmente, são mais de 20 vacinas disponibilizadas nas salas de vacinação do SUS, com recomendações e orientações específicas para crianças, adolescentes, adultos, gestantes, idosos e indígenas. Além das vacinas, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) também distribui imunobiológicos especiais, soros e imunoglobulinas.


 


Segurança das vacinas


 


​Arbex comenta que eventuais reações, como febre e dor local, podem ocorrer após a aplicação, porém, os benefícios da imunização são muito maiores que os riscos de possíveis reações temporárias.

 

Lembrando ainda que toda e qualquer vacina licenciada para uso, passou antes por diversas fases de avaliação, desde os processos iniciais de desenvolvimento, até a produção e a fase final, que é a aplicação. Além de serem aprovadas por institutos reguladores rígidos e independentes.”




No Brasil, essa função cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão vinculado ao Ministério da Saúde. Outro fator importante é que o acompanhamento de possíveis efeitos adversos se mantém mesmo depois que uma vacina é licenciada, o que permite a continuidade de monitoramento da segurança do produto, a fim de que possíveis modificações e melhorias possam ser realizadas em futuros novos lotes.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90