Araraquara Agora Publicidade 728x90
16/05/2024 às 09h18min - Atualizada em 16/05/2024 às 09h18min

Cresce o número de mulheres que buscam a estética íntima para melhorar a auto estima

Brasil é o primeiro do ranking mundial em procedimentos estéticos na área íntima

Foto Ilustrativa/Freepik


Leia ainda:
Unimed abre novas vagas de emprego em Araraquara; veja as áreas.
Araraquara amplia vacinação contra a gripe; veja quem pode e onde se imunizar.




A estética na região íntima feminina está cada vez mais em alta entre as mulheres. Estes procedimentos alteram a aparência dos órgãos genitais externos e o rejuvenescimento interno, ou seja dentro do canal vaginal e podem ser realizados em consultório, com tecnologias modernas, sem dor e sem down time.

Segundo a
fisioterapeuta pélvica dermatofuncional que é especialista no assunto, Danielle Simões, falar sobre o corpo da mulher sempre rende temas interessantes, maravilhosos e a quebra de muitos tabus.

 

Ao falar sobre estética intima, vale lembrar que cada vez mais as mulheres têm buscado o auxílio da medicina, da fisioterapia pélvica, que trata e restabelece funçǒes musculares de assoalho pélvico e da estética para resgatar a auto estima, o bem-estar , a saúde e até mesmo a melhora ou a descoberta do próprio prazer sexual através do auto conhecimento e tratamentos especializados das regiōes íntimas do corpo. A estética íntima entra em cena justamente para contribuir com a qualidade de vida do público feminino” na verdade , diz a fisioterapeuta: “Esse tema interessa todos os públicos”.
 



“Essas técnicas têm conquistado mulheres, principalmente, por ajudá-las a se sentirem mais seguras com a região íntima, o que agrega na autoestima e no empoderamento feminino”, diz.

 

Podemos diminuir o motivo de insegurança de muitas mulheres na hora de colocar biquíni, atuando na flacidez e possíveis escurecimentos da pele dessas regiões. Com as tecnologias intravaginais, é sim possível auxiliar na melhora de incontinências urinárias, nos atentando que o resultado final satisfatório também depende de tratamento de fisioterapia pélvica específico para cada caso e na melhora da circulação, nutrição e lubrificação dentro do canal, por isso essas tecnologias favorecem muito a atrofia vaginal após a menopausa”.
 


“O resultado, aumenta a confiança e o prazer das mulheres durante a relação sexual devido ao aumento da lubrificação local, pelo estímulo de colágeno e elastina dentro do canal após o tratamento com tecnologias, como o laser de herbium e ultrassom microfocado intravaginal, sendo os mais indicados e com ótimos resultados”.



Hiperpigmentação da região íntima

 


A hiperpigmentação da região íntima também é um dos motivos que levam mulheres a buscar tratamentos íntimos. “A procura pode ocorrer por diversos fatores: alterações hormonais, processo de envelhecimento natural da pele, infecções, foliculite, gravidez, atrito da região gerado por roupas muito apertadas, trauma gerado por meio da depilação com cera ou lâminas , obesidade, utilização de cremes e loções não adequados para a região”.



O escurecimento surge como um processo de defesa da pele, que inflama e acaba induzindo a produção de melanina, gerando o escurecimento.

 

Apesar de ter diversos gatilhos, o ideal é sempre buscar atendimento especializado para identificar a real causa do problema e se há alguma condição ou patologia relacionada", finaliza a especialista.
 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90