Araraquara Agora Publicidade 728x90
10/06/2024 às 11h41min - Atualizada em 10/06/2024 às 12h21min

Faca da vítima e silêncio em depoimento; saiba as novidades sobre caso de latrocínio em Araraquara

Paulo Roberto Pereira morreu com diversos golpes de faca. Hipótese era de roubo, mas terminou com a morte do porteiro

Direto da Redação
Flavio Fernandes



Leia ainda:
Padrasto é acusado de estupro em Araraquara; tocou garota de 12 anos.
Semana começa com 50 vagas de emprego no PAT Araraquara; veja a lista.


Colaboração: Flavio Fernandes.

Atualização para correção do bairro onde a vítima morava. 

Após a prisão de dois suspeitos do latrocínio contra Paulo Roberto Pereira, o delegado da Delegacia de Investigações Gerais de Araraquara (DIG), Fernando Teixeira Bravo relatou, em entrevista coletiva, que os investigadores seguem na busca do terceiro suspeito que está foragido.

 

Na última quarta-feira (5), os três criminosos invadiram a casa do porteiro, de 69 anos. Eles são moradores de rua e usuários de droga”. Ação rápida dos investigadores da DIG culminou na prisão temporária de dois dos três acusados, 33 anos e 45 anos, na última sexta-feira (7), próximo ao Residencial dos Oitis. “Conseguimos localizá-los em uma área de mata, utilizando drogas”, disse.

 

Segundo as investigações, o trio ficou sabendo que no interior da casa da vítima havia dinheiro, motivo que levou os criminosos a invadirem a residência do porteiro. “Eles utilizaram a própria faca da vítima, para praticar esse crime bárbaro”.


 

Ficaram em Silêncio

 

 

Ainda segundo o delegado Fernando Teixeira Bravo, a dupla ficou em silêncio, não colaborando com as investigações. “Eles permaneceram em silêncio durante o depoimento, porém as provas indicaram que foram eles que praticaram o crime e por isso a justiça concedeu o mando de prisão”, ressaltou.

 

A hipótese da DIG é que o trio tinha intenção de roubar a vítima, mas, ainda por motivos a serem esclarecidos,o crime evoluiu para o latrocínio. “A dinâmica, a princípio, seria o roubo até porque foi localizado dinheiro na casa da vítima. Como a vítima não forneceu tudo (o dinheiro) o crime evoluiu para o latrocínio”, ressaltou.

 

O terceiro acusado, segue foragido. “Estamos tentando prendê-lo o mais rápido possível”. Veja a entrevista coletiva:



 

O Crime

 

 

O crime ocorreu no último dia 5 de maio, há cerca de 50 metros da Associação Desportiva da Polícia Militar (ADPM), local em que Paulo trabalhava como porteiro.

Segundo boletim de ocorrência, os vizinhos acionaram a PM após ouvirem barulhos no interior da residência da vítima, localizada na Avenida Alexandre Gallani, no Jardim Iguatemi.

 

Os policiais foram até o local e encontraram o imóvel aberto. Na sequência, localizaram a vítima caído com uma corda e um lençol no pescoço.

A Unidade de Suporte Avançado (USA) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamada, mas o idoso morreu no local do crim. No abdômen e nas costas dele haviam várias perfurações de faca.

 

Imagens de câmeras de segurança de residências vizinhas flagraram os homens invadindo a casa de Paulo, permanecendo por um período e depois fugindo com o carro da vítima, GM/Agile.


Ainda na manhã do dia 5 de maio, o carro de Paulo foi localizado incendiado em uma área rural, próximo da Rua Manoel Borba, em Américo Brasiliense.
 

Na sexta-feira (7), os dois suspeitos foram presos, mas permaneceram calados. As investigações continuam em busca de prender o terceiro foragido. O Portal Araraquara Agora acompanha.




 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90