Araraquara Agora Publicidade 1200x90
Araraquara Agora Publicidade 728x90
18/09/2021 às 20h15min - Atualizada em 18/09/2021 às 20h15min

Dores crônicas podem estar associadas a transtornos de humor

Fisioterapeuta explica essa relação e a importância em discutir sobre o assunto durante o Setembro Amarelo

Foto: Canva

Com base em questionários respondidos por 5.037 indivíduos da região metropolitana de São Paulo, o Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas de São Paulo publicou um estudo revelando que quadros de dor crônica se mostraram um problema presente em 50% dos entrevistados com transtornos de humor, como bipolaridade e depressão. Já nos sujeitos ansiosos, essa taxa foi de 45%.


Segundo o fisioterapeuta Felipe Masiero, quem controla essa dor é o cérebro, um órgão que também gerencia as emoções.

 

Dessa forma, ao lidar com a depressão ou sofrer com a ansiedade, o paciente acaba tendo problemas, como a insônia ou a tensão de ambientes que frequentam, tornando-se mais suscetível a desenvolver dores crônicas.”


O especialista explica que pessoas com depressão tendem a se movimentarem menos e a ter menos vontade de sair de casa, muitas vezes optando por ficar a maior parte do tempo deitadas.

Essa falta de atividade física resulta em um baixo limiar e tolerância a dor, assim como maior sensibilidade aos estímulos desagradáveis, ou seja, qualquer sinal de dor em um paciente depressivo será sentido de forma exacerbada.”


Diante desse cenário, Masiero exalta a importância do Setembro Amarelo, uma data destinada às campanhas que buscam salvar vidas através da indicação de profissionais especializados em tratamentos terapêuticos ou por meio da difusão de informações necessárias para aqueles que lutam diariamente contra os problemas advindos de condições como a depressão.

 


“No caso das dores crônicas, os tratamentos consistem no suporte de uma equipe multidisciplinar, envolvendo profissionais de diversas áreas e que possam auxiliar o paciente no combate aos sintomas emocionais e físicos. Enquanto um psiquiatra entra com o medicamento e o psicólogo com a terapia, o fisioterapeuta poderá desenvolver atividades específicas para as regiões físicas da dor”, diz Masiero.


Para quem sofre com qualquer transtorno de humor, atualmente também existe o Centro de Valorização da Vida (CVV), um canal de atendimento voluntário para todos que querem e precisam desabafar com alguém.

 

O serviço é gratuito, por telefone e totalmente sigiloso. Basta entrar em contato através do número 188”, indica Masiero.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90