Araraquara Agora Publicidade 1200x90
Araraquara Agora Publicidade 728x90
24/09/2021 às 10h01min - Atualizada em 24/09/2021 às 10h01min

Entenda de que forma os exercícios físicos influenciam os episódios de incontinência urinária

Urologista comenta como as atividades podem ser aliadas ou inimigas dessa condição

Foto: Canva/ Ilustração

Apesar de ser comumente associada à população na terceira idade, a incontinência urinária é um problema que atinge pessoas de todas as idades.

 

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), aproximadamente 20 milhões de brasileiros lidam com os desafios impostos por essa condição.

 

Para o urologista Rodrigo Quarteiro, a prática de atividades físicas pode ser uma aliada no combate ao problema, desde que realizada de maneira adequada.


“Para definir de que forma esses exercícios serão realizados é preciso que haja um atendimento integral e individualizado de cada paciente assim que os primeiros sinais de incontinência urinária aparecerem. Dessa forma, os profissionais responsáveis pelo caso poderão indicar os tratamentos, medicações e até mesmo cirurgias necessárias para sanar o problema”, explica Quarteiro.

 

O especialista também aponta que a fisioterapia é a área destinada a coordenar as atividades físicas nesses casos, geralmente lidando com exercícios hipopressivos que auxiliam no fortalecimento da musculatura pélvica e garantem consideráveis resultados quando trabalhados junto aos exercícios funcionais, terapias comportamentais e a utilização de protetores adequados para lidar com os episódios de incontinência.


Porém, Quarteiro ressalta a importância do acompanhamento médico em qualquer tipo de tratamento, pois uma prática de atividades intensas e não supervisionada pode resultar em um efeito contrário, aumentando a pressão sobre o assoalho pélvico e causando a chamada incontinência urinária de esforço. “Muito comum em atividades que exigem mais força, como o crossfit, por exemplo.”
 

O urologista ainda reforça que atletas de alto impacto devem adaptar seus exercícios de forma a não piorar o quadro, regulando a intensidade e regularidade conforme a orientação do médico responsável.

 

Lembrando que quando a incontinência ocorrer em razão de causas genéticas, múltiplas gestações ou partos normais, o acompanhamento e consequente tratamento também deve ser diferenciado.”



“O mais importante em todos os casos é trabalhar a união dos exercícios físicos junto ao tratamento clínico e possivelmente cirúrgico. Assim, desde que as medidas sejam tomadas de forma consciente e profissional, as vantagens da atividade física são inúmeras, indo além da solução da incontinência urinária e contribuindo para a perda do excesso de peso e melhora na qualidade de vida”, orienta Quarteiro.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90