c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
05/04/2022 às 07h05min - Atualizada em 05/04/2022 às 07h05min

Estado de Alerta: Santa Casa deve receber R$500 mil para compra de insumos e materiais

Dinheiro será repassado pela Prefeitura. Cerca de 40 pacientes aguardam por cirurgias urgentes e eletivas

Direto da Redação

O prefeito Edinho Silva (PT), a secretária de Saúde, Eliana Honain, representantes da Câmara Municipal — o presidente Aluisio Braz, o Boi (MDB), e o líder do governo, vereador Paulo Landim (PT) — e o diretor do DRS 3 (Departamento Regional de Saúde), Jeferson Yashuda, reuniram-se nesta segunda-feira (4) para buscarem uma saída para a situação crítica enfrentada pela Santa Casa de Araraquara, principalmente o número de pacientes aguardando cirurgia.


O hospital enfrenta problemas como atraso de cirurgias de urgência e cirurgias eletivas. O grupo (Prefeitura, Câmara e DRS) apresentará à Santa Casa uma proposta para resolver essa situação até que o hospital restabeleça sua capacidade de realização das cirurgias. A proposta está sendo construída e será apresentada à Mesa Diretora da instituição.


Na mesma reunião, em contato com a direção da Santa Casa, a Prefeitura informou que liberará mais R$ 500 mil para que a instituição compre insumos e materiais necessários para as cirurgias.

 

Vários vereadores da Câmara Municipal de Araraquara assinaram conjuntamente a um ofício enviado ao Ministério Público Federal, pedindo apuração das reais condições financeiras da Santa Casa e do atraso das cirurgias.

 

Segundo o documento, 45 pacientes estariam na fila de espera dentro do hospital. “De acordo com familiares, muitos pacientes esperam de 10 a 15 dias na fila, o que pode agravar o estado clínico dessas pessoas e torná-lo irreversível, culminando com óbito”, diz o documento que será apresentado ao Ministério Público Federal.

 

Também estiveram na reunião o vice-prefeito e secretário do Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Turismo, Damiano Neto, a secretária Juliana Agatte (Governo, Planejamento e Finanças) e os coordenadores Delorges Mano (Gestão) e Edivaldo Trindade (Avaliação e Controle), ambos da Secretaria de Saúde.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »