c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
13/02/2023 às 10h47min - Atualizada em 13/02/2023 às 11h22min

Salário Justo: trabalhadores de Araraquara realizam mobilização a favor de piso nacional da enfermagem

‘O médico não faz nada sozinho. Temos que ser reconhecidos e valorizados’, ressalta profissional

Direto da Redação
Divulgação

Leia Também:
Banco do Brasil permite pagamento de tributos com criptomoedas; veja como.
Veja as vagas de emprego disponíveis hoje (13) no PAT de Araraquara; confira a lista.


Nesta terça-feira (14) será realizada uma mobilização nacional a favor do piso nacional da enfermagem. Em Araraquara, a concentração será em frente ao SinSaúde, na Avenida Prudente de Moraes, 872, a partir das 15 horas. Depois, o grupo de profissionais caminhará até o SISMAR, onde encontrarão com outro grupo de enfermeiros.






Os trabalhadores ainda passarão pela Santa Casa e Hospital São Francisco, finalizando o ato em frente a Prefeitura de Araraquara. O propósito da ação é chamar a atenção sobre a situação atual destes profissionais




 

O objetivo é a gente mostrar a força da categoria e o descontentamento com tudo o que estão fazendo com a enfermagem”, ressalta o enfermeiro Raimundo Martimiano Fonseca Nunes, integrante da Organização Nacional “Gigantes da Enfermagem”, que busca um piso mais justo para a categoria.






“Estamos cansados. Nos temos pressa. Hoje o que a gente vê é o desrespeito das autoridades, realizando manobras em cima de manobras, em relação ao piso da enfermagem. Vamos nesta mobilização mostrar a nossa força”, diz o enfermeiro que trabalha na Upa do Valle Verde em Araraquara e ainda atua em Américo Brasiliense.



Com a implementação da Lei do piso salarial, o salário do técnico de enfermagem, que é a grande maioria dos trabalhadores, ou seja, cerca de 80% da categoria, será de R$ 3.250, porém a lei permanece suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Por conta disto, os profissionais irão se unir para cobrar a implementação do reajuste.



 


Antes de ser enfermeiro, eu sou pai de família. Tenho meus filhos, minha esposa, tenho mãe. Sou filho, sou pai. Nos somos sociedade também. Não queremos ser melhor que ninguém. Queremos apenas o que é nosso por direito, ser reconhecidos e valorizados”, afirma Rai da enfermagem.









 

Nós sabemos que hoje a maior mão de obra dentro de uma instituição de saúde é da enfermagem. O médico não faz nada sozinho. Isso é um fato”, ressalta Raimundo.
 





O profissional reforça que não será uma paralisação ou greve, será apenas uma mobilização pacífica “para mandar um recado para nossas autoridades municipais, a gestão municipal, estadual e federal”, diz.



 

A enfermagem está acordada e se for deliberado uma greve nós iremos juntos participar”, reforça Rai.






Fórum Nacional



Recentemente, o Fórum Nacional da Enfermagem reuniu entidades do setor de prestação de serviços de saúde, sindicatos nacionais, assessores e funcionários do Ministério da Saúde, para tratar o tema.



No encontro ficou definido que a enfermagem deve iniciar uma greve nacional a partir do dia 10 de março, caso o piso não seja implementado. “Se não houver uma regularização, em todo o território nacional, haverá uma greve sim”, ressaltou Raimundo.




 

Nós esperamos que não chegue a esse ponto”, enfatiza.
 

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »