Araraquara Agora Publicidade 1200x90
Araraquara Agora Publicidade 728x90
05/12/2023 às 08h46min - Atualizada em 05/12/2023 às 08h46min

Dezembro Vermelho: mês de conscientização e combate ao HIV e à Aids

Infectologista destaca a importância da testagem e demais formas de prevenção

Foto Ilustrativa/Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil
  • Quer ficar por dentro das últimas novidades em tempo real? Participe da nossa Comunidade do WhatsApp.
  • Siga nossas redes sociais Facebook Instagram.



Leia ainda:
FIESP e CIESP apresentam projeto de incentivo à alimentação saudável às empresas de Araraquara.
OMS alerta que 4 em cada 5 pessoas com hipertensão não recebem o tratamento adequado.




Dados do Ministério da Saúde mostram que atualmente mais de 1 milhão de pessoas vivem com HIV no Brasil. Diante desse cenário, o Dezembro Vermelho tem como objetivo conscientizar a população sobre a luta contra o vírus, a Aids e outras ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis).

 

“É importante entender a diferença entre HIV e Aids. O HIV é o vírus que ataca o sistema imunológico e deixa o organismo sem defesa contra outras infecções, enquanto a Aids é a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, causada pelo vírus HIV, especialmente quando o vírus não é diagnosticado, não recebe o tratamento adequado e pode se apresentar bem grave. No cenário atual do país temos diminuição do número de casos de Aids, porém há um aumento dos casos novos de infecção pelo HIV em alguns grupos, diz Dra. Ana Rachel.
 


Os avanços científicos conquistados atualmente permitem que as pessoas com HIV que realizam tratamento adequado, tenham uma supressão do vírus, se tornando-se indetectável ao exame, e é um estado em que a pessoa não transmite o vírus e consegue manter a qualidade de vida sem manifestar quaisquer sintomas da Aids.

 

Porém, para que isso seja possível, é fundamental que todas as pessoas, principalmente aquelas com vida sexual ativa, realizem a testagem regular para HIV e outras ISTs para diagnóstico precoce e início de tratamento”, explica a especialista.
 


A transmissão do vírus também pode ocorrer via compartilhamento de objetivos cortantes contaminados, como agulhas, e através de mães que tenham HIV (sem diagnóstico e tratamento) para os filhos, durante a gestação, parto ou amamentação.

 

Além dos testes, outras formas de prevenção incluem o uso de preservativos em todas as relações sexuais e a aplicação de imunizantes para hepatite A (HAV), hepatite B (HBV) e HPV”, orienta Dra. Ana Rachel.
 


Outra informação que deve ser amplamente compartilhada durante o Dezembro Vermelho é que o SUS disponibiliza os testes de forma gratuita, além de estratégias e tecnologias mais avançadas para a prevenção da infecção pelo vírus, como a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e a Profilaxia Pós Exposição (PEP).

 

Medicamentos que impedem o desenvolvimento da doença, a PEP é indicada após exposição de risco ao HIV, como em acidentes ocupacionais ou relações sexuais. Já a Prep é administrada antes da exposição, para populações mais vulneráveis ao HIV.


Assim, Dra. Ana Rachel também destaca que o diagnóstico de HIV, em vista de tantas possibilidades de tratamento, não precisa ser visto como definitivo para a vida, pois já existem formas de controlar a condição e proporcionar qualidade de vida, sem nenhuma diferença diante das pessoas que não vivem com o vírus.

 

Combater o preconceito e espalhar informações eficientes de combate e prevenção devem ser sempre o mais importante”.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90