c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
13/06/2024 às 09h25min - Atualizada em 13/06/2024 às 14h39min

Dia Mundial da Conscientização da violência contra a pessoa idosa: a importância do respeito aos mais velhos

Especialista reforça que todos devem proteger essa parcela da população

Foto Ilustrativa/ Do Portal do Governo SP



Leia ainda:
Médica explica importância de sensibilizar a sociedade sobre a dignidade da pessoa idosa.
Insônia pode ser sintoma de depressão, diz estudo.




Nos primeiros seis meses de 2024 foram registradas 74,6 mil denúncias de violência contra idosos no Brasil. Diante desse cenário, o Dia Mundial da Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, em 15 de junho, se apresenta como uma oportunidade para chamar a atenção da população sobre o problema.


Segundo a geriatra especialista em cuidados paliativos Dra. Maria Carolyna Fonseca Batista Arbex, a violência contra a pessoa idosa é uma grave violação dos direitos humanos e deve ser combatida por toda a sociedade. “Precisamos estar atentos e atuantes para garantir a dignidade e o bem-estar dos nossos idosos”.


A especialista também destaca que a violência contra os mais velhos se manifesta de várias formas, não se restringindo apenas à agressão física.

 

A violência emocional pode ser igualmente devastadora. São atos de humilhação, intimidação, isolamento e negligência que não são visíveis para a maioria das pessoas, mas que podem levar a graves consequências psicológicas, como depressão e ansiedade”.
 


Além da violência física e emocional, os idosos também enfrentam outros tipos de abusos, como a violência financeira, que envolve a exploração de seus recursos sem consentimento ou compreensão. “Essas situações também merecem extrema atenção, pois podem deixar os idosos em uma situação de vulnerabilidade extrema”, alerta Dra. Maria Carolyna.


Dessa forma, a especialista enfatiza que para combater efetivamente a violência contra a pessoa idosa é crucial que a sociedade como um todo esteja sempre envolvida.

 

Precisamos promover uma cultura de respeito e cuidado com os idosos, onde cada um de nós entenda seu papel na proteção e apoio a essa parte da população”.
 



 

  • Formada em Medicina pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP -Universidade Federal de São Paulo);
  • Especialista em Geriatria pela UNIFESP e SBGG (Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia);
  • Mestre em Ciências da Tecnologia e Atenção à Saúde pela UNIFESP;
  • Especialista em Cuidados Paliativos pela Organização Latinoamerica Pallium e Universidad Del Salvador;
  • Médica assistente do Ambulatório de Memória e Geriatria da Universidade de Araraquara (Uniara).

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »