c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
04/04/2020 às 03h09min - Atualizada em 04/04/2020 às 03h16min

Procon fiscaliza revendedoras de gás após problemas de abastecimento

Essa semana o Araraquara Agora mostrou a dificuldade de moradores de Araraquara em conseguir comprar um botijão de gás. O abastecimento inconstante fez com que as revendedoras ficassem com pouco estoque. Em visita a seis distribuidoras de gás de cozinha esta semana, após ter recebido denúncias de consumidores sobre possíveis abusos de preço no botijão de 13 quilos, o Procon Araraquara constatou que os valores são praticamente os mesmos do ano passado na cidade, variando de R$ 69,80 a R$ 82.

Segundo o coordenador do Procon Araraquara, Rodrigo Martins, essa variação de preços se dá em virtude da marca do produto. Também afirma que o preço máximo do botijão em Araraquara pode chegar R$ 87 quando entregue em domicílio.

O coordenador orienta o consumidor a pesquisar os preços no mercado antes de comprar, não estocar o gás em casa para evitar riscos à saúde ao mesmo tempo em que com essa medida provoca o aumento de preço. Ainda orienta a denunciar o distribuidor, caso constante aumento abusivo.

Rodrigo afirma também que o produto está com a distribuição normal em Araraquara, faltando apenas em estabelecimentos onde a procura fora além do normal.

É que alguns consumidores estocaram botijões em casa, por medo que a pandemia do novo coronavírus provoque a falta do produto, embora não haja nenhuma previsão neste sentido.

Rodrigo Martins reiterou que caso o consumidor comprove, por através de nota fiscal, que o preço do botijão teve um grande aumento de preço em relação ao mês anterior, pode denunciar a distribuidora pelo telefone 3301-3131, que o órgão vai apurar. E se for comprovado o aumento indevido, o estabelecimento será autuado.

Ainda segundo o coordenador, o Procon São Paulo publicou uma nota recentemente afirmando que o gás de cozinha não poderia custar mais que R$ 70. Essa informação, entretanto, é válida somente para a Capital, o que pode ter confundido alguns consumidores de Araraquara e os levado a denunciar o preço maior na cidade.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »