c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
29/04/2020 às 18h17min - Atualizada em 29/04/2020 às 18h41min

Professora de Boa Esperança do Sul faz e doa máscaras caseiras

Por Rian Fernandes

Desde o início da pandemia, a necessidade do uso de máscaras se tornou uma maneira de proteção contra o coronavírus. Dessa maneira, ações caridosas merecem ganhar reconhecimento, como o trabalho da Eunice Alves da Silva, professora de Boa Esperança do Sul. Por já costurar em casa, a educadora resolveu pegar alguns panos que já tinha e aprender a fazer máscaras para doar, que agora se tornaram um exemplo de solidariedade. 

Como informou para o portal Araraquara Agora, ela viu nas mídias sobre a necessidade do uso de máscaras e a falta nos comércios para vender e assim surgiu a atitude de ajudar o próximo. “Quando eu publiquei no Facebook que estava doando, as pessoas começaram a me procurar”, disse. 

Ainda segundo a professora, no começo ela colocava as máscaras dentro de uma embalagem na grade do portão para aqueles que passavam pudessem pegar. “Eu escrevia dentro do saquinho: se você estiver precisando, pode pegar. É sua”, descreveu. 

Eunice portão

Eunice portão

De acordo com Eunice, ela faz uma média de 20 máscaras por dia, de segunda a segunda, e estima ainda que durante os dois meses de doações já foram feitas mais de 500 máscaras. “Todo dia para mim é uma satisfação atender as pessoas que precisam. É muito pouco o que estou fazendo, mas sinto que as pessoas ficam contentes. Elas precisam usar”, destacou. 

A professora também esclareceu que quando sabe de alguém que está doente, que precisa de máscaras, ela leva até a casa da pessoa voluntariamente. “Eu levo, coloco na caixinha do correio e comunico a pessoa que está lá”, completou Eunice. 

Recursos para fazer e doar as máscaras

Sobre os materiais necessários para fazer e doar, a educadora explicou que os panos e elásticos são comprados com recurso próprio. No entanto, Eunice salientou que recebeu a ajuda de uma amiga com tecidos e elásticos, que estavam em falta no momento. Ela ainda contou que tem o apoio de familiares na hora de produzir as máscaras.

Já para quem quiser contribuir com a ação solidária, doando tecidos e elásticos, pode entrar em contato pelo Facebook que pode ser acessado clicando aqui. “Se for um lugar próximo, eu posso buscar”, finalizou.

[gallery ids="3966,3965,3964,3921,3922" size="medium"]

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »