12/05/2020 às 16h11min - Atualizada em 13/05/2020 às 11h51min

“Limpa Pátio” salva locomotivas históricas, mas tempo é cruel com elas

 

Por Willian Oliveira

Há algumas semanas a Rumo Logística deu início a um processo de ‘limpa pátio’, com a remoção de dezenas de locomotivas e composições fora de uso e que sempre geraram muita reclamação de moradores por se acumularem ao longo do trecho sob a concessão da empresa.

Próximas da antiga Estação Ferroviária, pelo menos 4 delas devem ficar por ali. São peças consideradas de alto valor cultural, que contam um pouco da história da ferrovia e, claro, de Araraquara também.

Devem ser salvas deste desmonte a locomotiva modelo GP-9L, nº 7005 (antiga 1005 da EFA), uma locomotiva elétrica GE tipo V-8, nº 6377, da Cia. Paulista, um carro de passageiros do tipo primeira classe e um do tipo dormitório. 

O vereador Elias Chediek (MDB), que é engenheiro ferroviário e um dos defensores da preservação da memória ferroviária da cidade, diz que ao ficar sabendo da ação foi até o pátio verificar as condições das peças históricas. “Eles preservaram as locomotivas históricas e até uma outra que será vendida para particular. A Rumo ainda nos ajudou a recuperar algumas pelas de máquinas que eles desmontaram que serão usadas para a recuperação da 7005. Outras peças que ficaram faltando a Rumo se comprometeu a pegar do pátio de Tutóia”, disse ele.

Por meio de nota a Rumo explicou que “a remoção dos ativos que não estão mais em uso está sendo feita conforme o contrato de arrendamento da concessionária com a União”. Questionada se todos os vagões e locomotivas serão retirados dos pátios que cortam Araraquara a Rumo explicou que há um trâmite burocrático a ser seguido para que isso ocorra. “Recentemente, em razão da Lei 13.448/2018, foi publicado o Decreto nº 10.161/2019 de 09/12/2019 que regulamenta a extinção de contratos de arrendamento e bens inservíveis, arrendados ou não, localizados na faixa de domínio de ferrovia. O Decreto, todavia, determina a necessidade de serem estabelecidos parâmetros e procedimentos pelos Órgãos Públicos envolvidos para que isto ocorra. A empresa aguarda esta parametrização para dar sequência à adequada remoção”, conclui o texto.

Locomotivas agora são da Prefeitura

Depois de uma longa disputa com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Denit) a Prefeitura conseguiu a doação desses bens, que pertenciam a União. Agora é preciso uma corrida contra o tempo para que a ferrugem não consuma ainda mais a nossa história.

Segundo a Secretaria Municipal de Cultura a recuperação não será fácil e nem será possível fazer isso sozinha. “A Prefeitura trabalha em parceria com o Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico - COMPPHARA, a Câmara Municipal e até mesmo a própria empresa (Rumo) para conseguir recursos. Um projeto foi enviado ao ProAC, mas ainda não houve resposta por parte da Secretaria.”

As locomotivas

A locomotiva GM 7005 modelo GP-9 da EFA, fez sua viagem inaugural da bitola larga da Araraquarense, quando o trem passou do vapor para o diesel.

O carro de passageiros FC 3034, da EFA foi o último carro de passageiros fabricado nas oficinas da EFA em Araraquara.

A locomotiva elétrica GE tipo V8 - 6377, da Cia Paulista, fazia as viagens entre São Paulo e Araraquara.

E o carro-dormitório, em aço carbono QC 3620, também da Cia Paulista, foi encomendado à Middletown Car Company, da Pensilvânia, é o último remanescente da Paulista. 

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »