c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
10/06/2020 às 08h07min - Atualizada em 10/06/2020 às 07h38min

Internação preventiva reduz letalidade da Covid-19 em Araraquara

Pacientes são acompanhados e recebem assistência médica desde os primeiros sintomas, diminuindo o risco de complicações; município possui cinco mortes registradas e 438 casos

A internação preventiva de pacientes sintomáticos e que procuram atendimento médico por causa da Covid-19 está reduzindo a letalidade da doença em Araraquara. Até esta terça-feira (9), são 438 casos registrados do novo coronavírus na cidade, com a confirmação de cinco mortes (1,1% dos infectados).

Na segunda-feira (8), a cidade registrou o recorde diário de internações pela Covid-19, com 31 (26 em enfermaria e cinco em UTI). Mas a enfermeira sanitarista Fabiana Araújo, da Vigilância em Saúde, afirma que esse aumento reflete não só o crescimento esperado da disseminação do vírus, mas também a estratégia do município na prevenção de complicações da doença.

“O número de internações reflete uma estratégia da internação preventiva para evitar mortalidade. Nós estamos indicando a internação de forma antecipada para que, se os casos complicarem, os pacientes sejam atendidos prontamente”, informa Fabiana.

“São pacientes com muita tosse, por exemplo, e que já ficam internados. Se precisam de uma UTI, é mais fácil de transferir. A gente já viu acontecer alguns pacientes que foram rapidamente para a UTI. Talvez, a gente teria perdido esses pacientes se não estivéssemos monitorando dessa forma”, explica Fabiana.

As estatísticas ainda mostram que Araraquara está com uma testagem ampla de pacientes: somente na semana passada foram 498 diagnósticos realizados (337 voltaram negativos e 161 foram confirmados), contra 354 testes da semana anterior.

Em países que fizeram testes massivos de pacientes, a mortalidade da Covid-19 (número de óbitos/casos confirmados) fica entre 1% e 1,5%, como é o caso de Araraquara.

Isolamento

Para Fabiana, o crescimento da doença neste mês já era esperado, devido ao afrouxamento no isolamento social desde maio. “A gente conseguiu segurar bastante a curva enquanto a assistência médica se organizou”, relata, referindo-se à construção do Hospital da Solidariedade, à implantação do polo de triagem na Vila Xavier e da estruturação de toda a rede municipal de saúde.

Inclusive, foi essa estruturação da rede de saúde que permitiu à região de Araraquara ser incluída pelo Governo do Estado na fase 3 do Plano São Paulo, o que permitiu a reabertura gradual e cuidadosa de setores comerciais. Mas o Comitê de Contingência do Coronavírus alerta para que a população procure o comércio presencialmente apenas se for necessário, dando prioridade às compras pela internet e por delivery.

O comitê explica que o isolamento social continua sendo o principal fator de controle da doença e deve ser respeitado. Mas, quando se torna inevitável sair de casa, a recomendação é que todos usem máscara de proteção que cubra totalmente a boca e nariz e que esteja bem alinhada ao rosto. Idosos e demais pessoas que fazem parte do grupo de risco da doença devem permanecer em suas casas, em isolamento social.

Foto: Marcello Casal Jr.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »