01/07/2022 às 11h03min - Atualizada em 01/07/2022 às 11h03min

Araraquarense participa de competição nacional de dança em Joinville

Bruno Maria realiza rifa para ajudar nos custos da viagem; veja como ajudar o artista

Direto da Redação
Redes Sociais

O Festival de Joinville é o nosso auge, se tratando de festivais do Brasil”.



A explicação do bailarino araraquarense Bruno Maria, de 26 anos, resume a importância do Festival de Dança de Joinville. O evento ocorre há três décadas e reúne profissionais de todo o país e também do exterior. A 39ª edição ocorre entre os dias 18 a 31 de julho.
 


A mostra competitiva e as apresentações no Meia Ponta ou em Palcos Abertos dão o tom do evento, que ainda oferece cursos, oficinas, workshops, palestras e debates para bailarinos e coreógrafos.

 

Com uma grande estrutura e com grandes profissionais, chegar lá já é uma conquista a todos que almejam este festival. O festival conta com workshops, apresentações em palcos abertos e as noites competitivas, na qual há uma seleção para se dançar”, explica o bailarino.



A apresentação de Bruno na competição acontece no dia 23 de julho na categoria de solo de sapateado masculino. O nome do seu solo é Travessia. Onde através da dança, atravessei e atravesso por diversas barreiras da sociedade e imponho o respeito que todos devem ter com qualquer ser humano. É sobre pertencer, compartilhar, resistir e acima de tudo amar”, completa.




Ganhar o Festival é a realização do sonho do araraquarense. O Festival para mim se trata de passar os meus próprios obstáculos e adquirir um crescimento incrível na minha arte”.

 

Ganhar Joinville (Festival) é ser ganhador do maior festival de dança, é ter reconhecimento, abertura de oportunidades, além de retornar no próximo ano com vaga garantida e um belíssimo troféu”, reforça.



Além do troféu como o melhor bailarino do Brasil, na categoria sapateado masculino, o ganhador ainda vai se apresentar na Gala ( noite com as apresentações dos campeões de todas as categorias) e ainda terá a participação garantida no ano que vem, sem a necessidade de fazer audição.


Vale lembrar que o fervor da dança pulsa no corpo de Bruno há 20 anos. Ainda criança ouvia sobre a importância do Festival. Hoje poder fazer parte dele, é realizar mais um sonho”, comenta.




 


História de superação e amor pela dança


 

Comecei na dança com 6 anos por influência da minha mãe e irmãos que faziam parte do projeto Ritmus, onde faziam jazz e Dança de rua. Por eu não ter idade para entrar na aula, minha mãe me deixava na recepção aguardando as aulas acabarem, até que um dia a professora de sapateado me convidou para uma aula experimental e desde então nunca mais parei”, conta Bruno Maria.



Atualmente o araraquarense mora no Rio de Janeiro, onde é professor de sapateado, ballet clássico e jazz funk, mas as raízes nunca foram esquecidas. A Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira fez parte importante da sua história na dança. Cursei por 6 anos e me fez querer a profissão de professor”.


A família de Bruno mora em Araraquara e vive na Vila Xavier, onde o bailarino cresceu.






 

A dança desde sempre me trouxe oportunidades incríveis, bolsas de estudos, trabalhos em editais e viagens nacionais e internacionais”.
 

 


Bóra ajudar?

 

Para realizar o sonho de participar do Festival de Dança de Joinville, Bruno conta com a ajuda da população. Como não tem um auxílio para viajar e também se manter na cidade durante o festival, ele busca arrecadar fundos.


O bailarino precisa arcar com todo o valor, desde viagem, alimentação e estadia.
Por conta disto, quanto maior a arrecadação mais chances o araraquarense terá de realizar com maestria a sua apresentação. Eu não estou estipulando nenhum valor. Estou deixando o coração da galera guiar. Depois vou juntar o valor com o que ganho trabalhando e tentar ir”, ressalta.


Mesmo sem ter metas de valores, com cerca de R$6 mil é possível que Bruno consiga se manter em Joinville durante o Festival.

 

Todas essas conquistas, eu sempre tive ajuda da população, familiares, amigos, professores, que a cada passo que eu conquistava sempre me ajudavam com rifas, projetos, workshops, apresentações beneficentes, para que eu alcançasse o meu objetivo. Sou muito grato a tudo e todos que sempre estão comigo”, reitera o bailarino.



Chegar até o festival já é uma conquista para Araraquara. Me sinto muito honrado e confesso que nervoso por representar minha cidade natal e também essa grande cidade maravilhosa onde me acolheu e estão na luta junto a mim para que esse sonho seja conquistado”.


Para quem quiser ajudar, a colaboração tem sido de duas formas. Por meio da Rifa onde o prêmio será um sapato de sapateado. O valor da rifa é de R$5. Veja mais detalhes:


 




Ainda é possível ajudar o bailarino com qualquer valor por meio do PIX: [email protected] Mais informações no Instagram de Bruno Maria.

 

Toda ajuda é bem-vinda e eu serei eternamente grato”, finaliza o Araraquarense.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »