c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
11/04/2023 às 11h50min - Atualizada em 11/04/2023 às 11h50min

Entenda como funcionará a nova Lei de Licitações

Governo publicou medida provisória que prorroga o prazo para que os gestores municipais se adequem às mudanças da legislação

Foto Ilustrativa/ Freepik

LEIA TAMBÉM:
Após inspeção, Anvisa libera fabricação de produtos da marca Fugini.




Anteriormente agendada para entrar em vigor no início de abril, a nova Lei de Licitações agora terá até o último dia útil do ano para ser implementada. A medida provisória (MP) 1.167/2023 prorrogou até 30 de dezembro a validade de três leis sobre compras públicas: a antiga Lei de Licitações (Lei 8.666, de 1993), o Regime Diferenciado de Compras - RDC (Lei 12.462, de 2011) e a Lei do Pregão (Lei 10.520, de 2002).



Segundo o advogado Guilherme Galhardo, o novo regramento sobre Licitações e Contratos Administrativos foi instituído pela Lei nº 14.133/2021 e trouxe uma série de inovações, tais como a exclusão das modalidades Carta-convite e Tomada de Preços e a inclusão de uma nova modalidade: o Diálogo Competitivo.

 


 

“A nova regra também estabelece que todos os processos ocorrerão preferencialmente por meios digitais, com as licitações presenciais tornando-se exceções, devendo ainda ser justificadas e suas sessões obrigatoriamente registradas em ata e gravadas em áudio e vídeo”, explica o advogado.



Criada com a nova lei, a modalidade de Diálogo Competitivo possui um propósito mais específico e, consequentemente, pode ser menos utilizada pelos órgãos públicos. Nesse caso, a regra do melhor preço não é aplicada ao vencedor, pois se trata de um
tipo de licitação que visa à contratação de serviços ou a compra de produtos técnicos.


 

“A categoria é utilizada para a contratação de obras, serviços e compras que envolvem inovações tecnológicas ou com alta complexidade. A administração pública deve, então, realizar diálogos com os licitantes, todos previamente selecionados mediante critérios objetivos, com o intuito de desenvolver uma ou mais alternativas capazes de atender as necessidades requeridas.”, detalha Galhardo.



Demais modalidades, como Pregão, Concorrência, Concurso e Leilão também tiveram características e critérios de julgamento revisitados, sendo que, a partir de agora, a modalidade de uma licitação é definida exclusivamente de acordo com a natureza do objeto. Diferente das normas antigas, que também levavam em consideração o valor estimado da contratação. Para conferir todos os detalhes e novas vigências que serão estabelecidas pela legislação, acesse o site do Governo Federal.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »