c.id = "CleverCoreLoader47680"; c.src = "//scripts.cleverwebserver.com/02461c5130daee73a8c73a51060e2adc.js"; c.async = !0; c.type = "text/javascript"; c.setAttribute("data-target", window.name); c.setAttribute("data-callback", "put-your-callback-macro-here"); try { a = parent.document.getElementsByTagName("script")[0] || document.getElementsByTagName("script")[0]; } catch (e) { a = !1; } a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);
29/05/2024 às 14h38min - Atualizada em 29/05/2024 às 14h38min

Araraquara abre inscrições para Mutirão de Identificação de Paternidade; saiba como participar

Ação será conduzida pelo Laboratório de Investigação de Paternidade da Unesp, em uma parceria com a Prefeitura, Câmara e Defensoria Pública do Estado

Foto Ilustrativa/ Marcello Casal Jr por Agência Brasil


Leia Também:
Infecção urinária: quando procurar o urologista?
Saiba como conseguir 20% de desconto em Zona Azul em Araraquara.



Teve início nesta quarta-feira (29), as inscrições para os interessados em participar do "Mutirão de Identificação de Paternidade: É Direito Meu! (Re)conhecimento", por meio de uma parceria entre Prefeitura, Câmara Municipal, Defensoria Pública do Estado de São Paulo e Unesp. A ação ocorre no dia 15 de junho, às 8h, na sede da Defensoria Pública, localizada na Rua São Bento, 1725, Centro.

 

As inscrições podem ser feitas até o dia 6 de junho pelo link  ou na página principal do site da Prefeitura.




Exigências

 

Para a inscrição no mutirão, será necessário:

  • RG ou CPF;
  • Comprovante de endereço;
  • Telefone;
  • E-mail para contato.


 

Critérios básicos:

  • Renda mensal de até três salários mínimos;
  • Aceitação de todas as partes (filhos, mãe e possível pai) sobre a realização do exame. Após o preenchimento do cadastro, a Defensoria entrará em contato para maiores esclarecimentos, inclusive sobre a data do mutirão.



O Mutirão de Identificação de Paternidade propõe investigar a compatibilidade genética entre pais e filhos, avós e netos, tios e sobrinhos, enfim, ligações familiares capazes de garantir o direito de conhecer a própria origem.

 

O mutirão vai oferecer a possibilidade de realização de teste de DNA gratuito, além de orientações pertinentes como atualização da Certidão de Nascimento, guarda e também a conscientização sobre o exercício responsável da paternidade.





Coleta



O exame é simples e não exige preparação, apenas uma gota de sangue. A coleta será realizada em local reservado, de forma a garantir a privacidade dos participantes.

 

Para a coleta, não há necessidade de jejum. Os envolvidos (mãe, filhos e o suposto pai) deverão, obrigatoriamente, estar presentes, munidos de documentos pessoais com foto e Certidão de Nascimento dos menores de 18 anos.


Menores de idade ou pessoas com deficiência deverão estar acompanhados pelo responsável legal ou portando documentos que comprovem a sua condição.

 

Para o caso de suposto pai falecido, será necessário o comparecimento da mãe e dos filhos, assim como também dos parentes de primeiro grau do falecido, tais como pais (supostos avós paternos, preferencialmente), irmãos (por parte de pai e mãe) e filhos (com suas genitoras). Posteriormente, os envolvidos serão convocados pela Defensoria para entrega do resultado e esclarecimentos sobre futuras providências.


Os exames serão realizados pelo Laboratório de Investigação de Paternidade, que colabora com a Defensoria Pública do Estado de São Paulo nos procedimentos extrajudiciais desde 2009, realizando perícias de investigação do vínculo genético (DNA) envolvendo população hipossuficiente atendida pela Defensoria e particulares. Em 1º de dezembro de 2020, o convênio teve sua renovação, passando a atender as cidades de Araraquara, São Carlos, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Limeira, Avaré e Grande São Paulo.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »