10/05/2021 às 19h52min - Atualizada em 10/05/2021 às 19h52min

Ministério Público vai investigar falta de EPIs na Saúde de Araraquara

Denúncia foi feita pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região


O Ministério Público do Trabalho (MPT) de Araraquara vai investigar a falta de luvas descartáveis nas unidades de Saúde da cidade ao longo da pandemia. A denúncia foi feita pelo Sismar (Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região) no dia 20 de abril.

Com a denúncia, o MPT instaurou na última terça-feira (4) um Inquérito Civil (IC) para investigar o caso. De acordo com o Sismar, "servidores da Saúde foram obrigados a fazer adaptações para poderem trabalhar devido à falta de luvas de tamanhos PP, P e M. Apenas luvas G estavam disponíveis para uso e precisavam ser amarradas improvisadamente com cordões para poderem ser usadas".

Ainda segundo o Sismar, "e
sta adaptação que os servidores municipais foram obrigados a fazer nas luvas para realizar procedimentos simples e avançados coloca em risco a saúde deles e dos pacientes".

 

As luvas fazem parte da lista de Equipamentos de Proteção Individual (EPI). "Manter servidores da Saúde sem EPI adequado em meio à pandemia mais mortal da história é inadmissível. Eles são a linha de frente no combate à pandemia e os que mais foram infectados entre os servidores. Deixá-los sem proteção ou com EPIs adaptados é um tapa na cara da categoria", destacou o sindicato.

O que diz a Prefeitura


Sobre o caso, a Prefeitura de Araraquara disse que "não há, de forma alguma, falta de luvas e demais insumos e EPIs nas unidades de atendimento da Saúde Municipal". O Executivo também destacou que haverá a apresentação e comprovação de que não existe falta EPIs om documentos junto ao Ministério Público do Trabalho. Veja abaixo a nota na íntegra:

"A Prefeitura de Araraquara informa que não há, de forma alguma, falta de luvas e demais insumos e EPIs nas unidades de atendimento da Saúde Municipal. Destaca ainda que essa informação será apresentada e comprovada com documentos junto ao Ministério Público do Trabalho."

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »