11/05/2021 às 16h20min - Atualizada em 11/05/2021 às 16h20min

Orlando é o destino preferido dos araraquarenses em viagens internacionais

Sete em cada dez viagens vendidas em Araraquara têm como destino a ‘Terra do Mickey’ e dos grandes parques temáticos

Orlando, na Flórida (Estados Unidos), é o destino preferido do araraquarense quando o assunto é viagem internacional. De acordo com dados obtidos junto a agências de viagens de Araraquara, sete em cada dez viagens internacionais, vendidas, possuem como principal destino a cidade que abriga os principais parques temáticos do mundo, como o tradicional Magic Kingdom, da Disney.

“Quando o assunto é viagem internacional, o destino é Orlando. Isso é comprovado pelo volume de pacotes turísticos que vendemos, aqui em Araraquara. É uma porcentagem alta, pois chega a 70% do volume total”, explica Queli Torres, representante da Prodaplan Turismo.

É claro que por conta da pandemia da Covid-19, com todas as barreiras sanitárias impostas pelos Estados Unidos e muitos outros países, o volume de vendas caiu bastante. Mas nada que desanime o araraquarense. “Estamos recebendo o contato de pessoas que já estão perguntando sobre viagens a Orlando. É só a pandemia passar, que o movimento cresce quase que instantaneamente”, disse Queli.
 
“A terra do Mickey”

É evidente que um dos principais motivos para essa paixão do araraquarense por Orlando tem nome: Magic Kingdom, da Disney. O passeio em família mais famoso do mundo atrai os turistas de Araraquara para o estado da Flórida. Desfiles com os principais personagens, fogos de artifício, castelos encantados, brinquedos para todos os gostos e uma vasta rede hoteleira encantam ainda mais os viajantes.
Busch Gardens Tampa, Disney EPCOT, Disney Animal Kingdom, Disney Hollywood Studios, Universal Studios, Hard Rock Cafe Orlando, vida noturna agitada e entretenimento infantil completam a lista de atrativos de Orlando.
 
E se eu não gostar de parques? Tem opção?

A resposta é bem simples: lógico! Afinal de contas, você está em Orlando, a terra do entretenimento.

Para quem não gosta dos famosos parques temáticos há diversas outras opções, assistir aos jogos da NBA, a famosa liga de basquete profissional norte-americana; passeios de balão pelos céus da Flórida; um safári em meio a animais lindos e exóticos; corridas em uma das melhores pistas de kart do mundo; e o tradicional Museu de Cera Madame Tussauds, conhecido por  ter réplicas perfeitas de personalidades como Barack Obama, Tom Hanks, Madonna, Elvis Presley, Michael Jackson, Rihanna, Kate Perry, Vin Diesel, entre outros Brad Pitt.

E isso sem contar os famosos outlets, onde você consegue comprar produtos de grifes famosos, como roupas, bolsas, sapatos, por um precinho que cabe no seu bolso.
 
Um araraquarense que foi e ficou!
Mateus Cabau, 44 anos, empresário do setor imobiliário e hoteleiro, é um araraquarense que foi visitar a América, se apaixonou pelo  país e lá reside  com sua esposa e os dois filhos.

Cabau foi para estudar na Califórnia e se mudou para a Flórida no final de 2014. Nesse tempo foi gerente geral de um hotel na região da International Drive, co-desenvolvedor e sócio de um hotel que será inaugurado em junho, na região de Lake Buena Vista, em Orlando.

"A decisão de escolher Orlando para morar foi pela sinergia dos negócios com o Brasil. Brasileiro ama Orlando, pois é o local mais divertido do mundo. Fatores como questões climáticas, a relação do fuso horário com o Brasil, destino familiar e com qualidade para criar os filhos, são alguns dos fatores que atraem brasileiros. E tem também o fato da locomoção. Um voo direto de Orlando para São Paulo leva menos de oito horas. Às vezes é mais rápido do que Araraquara/Guarujá, em um feriado prolongado", brinca Mateus.
 
Estilos de vida diferentes
Mateus também fala sobre o estilo de vida que encontrou nos EUA. “Orlando facilitou muito a adaptação de todos, embora a cultura americana seja bem diferente da brasileira. Orlando, por ser um destino global, e ter entre seus visitantes internacionais o brasileiro, como um dos principais visitantes, oferece muito da nossa culinária, como o tradicional arroz com feijão, picanha, pão de queijo e a visita constante de amigos e parentes, pela magia do destino”.

Segundo Cabau, esses fatores são importantes  para ajudar a criar a nova raiz da família. "Além disso, a comunidade brasileira cresceu muito desde 2010, quando começou uma terceira onda de imigração. Aqui, em Orlando, existem supermercados, pizzarias, churrascarias e bares de brasileiros para brasileiros. É incrível! E o melhor é que se compram muitos dos produtos brasileiros aqui, mesmo com o dólar a $5,50, mais barato que no próprio Brasil", comentou.

De acordo com Mateus, a principal diferença que existe entre Orlando e as demais cidades brasileiras é a questão de segurança. "Você não precisa morar em condomínio fechado, prédios com guaritas. Você não precisa ter carro blindado, aqui na Flórida”, diz Cabau.
 
Para ele, há semelhanças com sua querida terra natal, a Araraquara de antigamente. "As crianças podem ir de bicicleta para escola. Meus filhos ficam brincando na rua, livres, leves e seguros, como eu fazia quando morava no Santa Angelina e estudava no Colégio Progresso, no final da década de 80, em Araraquara. Fico muito feliz em poder dar a mesma liberdade e segurança, que eu tive, para os meus filhos".
 
Educação para os filhos
Um dos principais motivos para quem resolve mudar com a família para os Estados Unidos é a qualidade da educação norte-americana. 

Mateus faz uma analogia, lembrando que na época de escola do pai dele, na década de 60, a escola pública era referência no Brasil. "Aqui, nos Estados Unidos, a escola pública gratuita é a razão da decisão da região que nós escolhemos para morar. Quanto melhor a escola pública da respectiva região, mais concorrido é o bairro", explica.

A escola pública gratuita nos Estados Unidos é período integral e, para Mateus, o foco da escola vai muito além de matemática, geografia, ciências e literatura. "A escola norte-americana motiva a competição sem punir o ruim, mas enaltecendo os melhores. Além disso, a escola motiva as crianças a buscarem atividades esportivas, e serem competitivas no esporte que elas escolhem. E olha que a gama de opções é gigantesca: futebol, beisebol, basquete, lacross, golfe, ginástica, futebol americano, atletismo, vôlei, entre outros".
 
Mas e o custo de vida? É alto em Orlando?

Muitas pessoas fazem essa mesma pergunta. Mas será mesmo que o custo de vida de uma família, em Orlando, é mais caro do que morar em São Paulo, por exemplo? Cabau explica. "Se você vier morar com a renda do Brasil, sempre estará refém da cotação do dólar e, infelizmente, isso é um alto risco, pois nossa moeda é muito frágil e nossos pilares políticos, fiscais e econômicos não estão ajudando muito na reversão dessa situação, nesses últimos 500 anos. Não podemos esquecer que o dólar é a moeda oficial dos Estados Unidos desde 1770 e o Brasil já teve mais de dez moedas e vários cortes de zero em virtude de períodos de hiperinflação. Resumindo: não da para apostar contra o dólar".
 
Dicas preciosas

Mateus ainda comenta que depois desse tempo morando em Orlando, na Flórida, ele não deixa de recomendar para nenhum dos amigos e familiares: tenha parte da sua renda em dólar. "Invista em ativos dolarizados que lhe permitam ter a renda em dólar. Felizmente, já possuo muitos amigos do Brasil que já tem parte de seus ativos fora do Brasil e, consequentemente, renda em dólar. Se você morar em Orlando, tendo renda em dólar, fica tudo mais fácil. Para desfrutar da qualidade da cidade, da segurança, do entretenimento, da cultura e valores, aqui se torna mais barato que o Brasil".

Cabau também aproveitou para dar algumas dicas para o araraquarense que for para Orlando, após a pandemia. "A vida de turista é insana e muito divertida em Orlando", relata o araraquarense.

Segundo ele, em geral, o brasileiro fica quinze dias de férias em Orlando. E tudo isso é bem dividido e programado. "São dez dias de parques temáticos, dois dias de outlets, um dia de Walmart & Best Buy, um dia de Florida Mall & Millenia Mall e um dia para arrumar a mala para voltar. É um ritmo frenético e que não permite o turista de conhecer o estilo de vida de um residente em Orlando", finaliza.

Mateus ainda brinca que todos os turistas precisam de 'férias das férias', quando retornam de Orlando. "Ah, e detalhe, mesmo nesse ritmo, ainda não conseguem fazer metade do que a cidade oferece", diz.
 
Sinta-se como um morador de Orlando

Para usufruir de verdade o que Orlando oferece, as dicas podem ser resumidas em reduzir a quantidade de parques temáticos e desfrutar das atrações que os residentes costumam fazer aos finais de semana. E elas são muitas:
  • Alugar um barco, ou jet-ski, para andar pelos mais de 13 lagos que se conectam em Windermere, por exemplo.
  • Passear na feirinha  nas manhãs de sábado, no centro histórico de Winter Garden.
  • Passar o dia no Wekiwa Springs State Park.
  • Visitar Mount Dora.
  • Jantar em um dos lindos e deliciosos restaurantes, em Winter Park.
  • Alugar uma moto Harley-Davidson e viajar até Savanah, na Georgia, fazendo uma parada em Daytona, ou fazer um bate-volta para a belíssima praia de Clearwater, no golf.
  • E, claro, conhecer Saint Augustine, cidade mais antiga da Flórida, que está localizada a cerca de uma hora de Orlando.

Resumindo: não é a toa que Orlando é o principal destino dos araraquarenses, em viagens internacionais.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »