19/08/2021 às 02h40min - Atualizada em 19/08/2021 às 02h40min

Grande incêndio em Trabiju rendeu R$ 2,4 milhões em multas após causar destruição

Incêndio aconteceu no ano passado e devastou mais de 300 hectares de plantações e vegetação nativa

Por Rian Fernandes
O incêndio que assustou moradores e devastou parte de vegetação nativa e plantações em Trabiju, em outubro do ano passado, rendeu R$ 2,4 milhões em multas. De fato, custou caro: para o bolso e ainda mais para a natureza. Uma apuração do portal Araraquara Agora revela fatos da queimada que destruíram mais de 300 hectares por áreas rurais. 

A queimada, que segundo relatos de moradores, foi a maior já registrada na história da cidade, começou em um sábado, dia 3 de outubro. As chamas se alastraram com a força da ventania, assuntando pessoas e fazendo com que casas fossem evacuadas. No total, o incêndio degradou uma área equivalente a pouco mais de 374 ha (aproximadamente 374 campos de futebol).


No dia 5 de outubro de 2020 uma equipe da Polícia Militar Ambiental realizou uma fiscalização ao incêndio ocorrido em Trabiju. Pelo local, foi constatado que o fogo se alastrou por várias propriedades rurais.

Com uso de GPS foi constatado que o incêndio atingiu 283,62 ha com plantações distintas, como cultivo de cana-de-açúcar, palhada, hortaliças, mandioca, eucalipto e árvores conhecidas como "Pau-Balsa", além de pastagens e 90,67 ha de vegetação nativa. 

 

Além dos danos na agricultura, o incêndio também prejudicou a pecuária, uma vez que diversos animais domésticos, bovinos e equinos morreram com o fogo. Danos materiais também foram identificados, como em um veículo modelo VW/Passat, maquinários, cercas e mangueiros. 

O ínicio do incêndio e autuações



Na época do acontecimento, agricultores narraram como causa provável do incêndio e origem, um canavial existente em um sítio. 

Segundo informações da Polícia Militar Ambiental, na época foram feitas duas autuações ambientais. Uma delas por destruir ou danificar, em área considerada de preservação permanente, florestas, sem autorização do órgão competente, no valor de R$ 2.040.050,00. Já a outra por fazer uso de fogo em áreas agropastoris, sem autorização do órgão competente ou em desacordo com a obtida, na quantia de R$ 425.430,00. 

Ambas as autuações ambientais foram feitas para uma propriedade rural, um sítio, localizado em Trabiju. 

Relembre o caso



O incêndio de grandes proporções que atingiu Trabiju na noite de sábado, 3 de outubro de 2020, começou na verdade durante a tarde. No entanto, a ventania que passou pela cidade naquele dia acabou alastrando o fogo, provocando destruição e muita fumaça. 

Naquela noite, a nossa equipe de jornalismo acompanhou de perto a situação. Pela região, além das plantações e vegetação nativa, a preocupação também era com granjas e residências do local. Os moradores, inclusive, foram evacuados pelos policiais por conta do risco.

No entanto, a granja e as casas não foram afetadas. Já o entorno, acabou sendo tomado pelas chamas. Naquela noite, caminhões pipa da prefeitura local e região, empresas, Corpo de Bombeiros, moradores e produtores rurais ajudaram no combate ao fogo. 

Focos de incêndio 24 horas depois da grande queimada

 

No dia seguinte ao acontecido, no domingo, 4 de outubro, a equipe de jornalismo do portal Araraquara Agora esteve pela região queimada. Mesmo 24 horas depois da queimada, focos de incêndio ainda surgiram. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »