15/06/2020 às 09h35min - Atualizada em 15/06/2020 às 17h02min

Bolsonarista Sara Winter é presa pela Polícia Federal

A Polícia Federal prendeu a ativista Sara Winter, na manhã desta segunda-feira (15), em Brasília. Ela era a principal responsável pelo acampamento "300 do Brasil", desmontado no final de semana por determinação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha. O movimento ficou vários meses instalado na cidade fazendo manifestações, muitas vezes com mensagens consideradas antidemocráticas contra parlamentares, opositores e ao STF.

O pedido de prisão foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), e aceito aceito pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito que investiga ações antidemocráticas.

Sara Winter não é o único alvo da operação da PF. São cumpridos pelo menos cinco mandados de prisão contra outros integrantes do “300 do Brasil”. Winter foi levada para a Superintendência da Polícia Federal em Brasília. Lá deve prestar depoimento.

Leia também – FGTS: calendário do saque emergencial vai de junho até novembro

Ontem, em suas redes sociais ela escreveu mensagens falando da possibilidade de ser presa. "Quem tem medo de cadeia é bandido. Eu não devo nada a ninguém, estou dando o meu sangue para lutar por nossa liberdade que está sendo ameaçada constantemente, pelas mesmas pessoas que nos acusam de sermos antidemocráticos", disse ela.

A ativista Sara Winter é uma das investigadas pela Polícia Federal no inquérito das Fake News. No último dia 27 de maio a casa dela foi alvo de outra ação da PF, desta vez com o objetivo de encontrar provas de seu envolvimento no esquema de divulgação de informações falsas.

Naquela oportunidade a ativista chegou a desafiar o presidente do STF Alexandre de Moraes, disse que iria infernizar a vida dele e chegou a manifestar a vontade de trocar socos com o ministro. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »