Araraquara Agora Publicidade 728x90
21/12/2021 às 07h21min - Atualizada em 21/12/2021 às 07h21min

Projeto de lei busca acabar com “arquitetura antimendigo” em Araraquara

Ação é uma iniciativa do coletivo da Frente Parlamentar pelo Direito à Cidade

Foto: Câmara Araraquara

Foi protocolado no dia 10 de dezembro, pela vereadora Fabi Virgílio (PT) e pelo vereador Marcos Garrido (Patriota), o Projeto de Lei Complementar 38/2021, que tem como objetivo vetar técnicas de arquitetura hostil em espaços públicos do município de Araraquara.

 

Os parlamentares explicam que arquitetura hostil (também conhecida como arquitetura defensiva e desenho desconfortável) entende-se como a utilização de qualquer material ou estrutura com o intuito de afastar o uso ou circulação de pessoas (idosos, jovens, outros segmentos e, principalmente, pessoas em situação de rua).

 

Acrescentam que é uma técnica que se expandiu nas cidades na década de 1990, ficando conhecida como “arquitetura antimendigo”, e que tem sido incentivada há anos em muitas cidades, incluindo Araraquara.

 

Segundo eles, o sistema neoliberal propõe que a remoção do público indesejado em determinado local resulta na valorização de seu entorno e no aumento do valor de mercado dos empreendimentos que ali se localizam, gerando mais lucro a seus investidores.

 

Não é difícil concluir que tais instalações são medidas simplistas e cruéis, uma vez que a raiz do problema está na pobreza, na marginalização e na falta de moradia digna. Tirar pessoas vulneráveis do alcance da vista não resolve tais problemas. Pelo contrário, aprofunda ainda mais a desigualdade urbana”, argumenta Fabi.

 


 

Devemos lutar pelo direito à cidade e acreditamos que a proibição da arquitetura hostil é um passo para a garantia desse direito. A própria Constituição Federal, ao detalhar a noção de desenvolvimento urbano, segue essa linha”, completa Garrido.

 

 

A ação é uma iniciativa do coletivo da Frente Parlamentar pelo Direito à Cidade, que é representado por Fabi Virgílio (presidenta da frente) e por Marcos Garrido, além do núcleo BR Cidades/Araraquara-SP, representado pelos acadêmicos Luciana Gonçalves, Sálua Kairuz e Rafael Orsi.

 

Padre Lancelotti

 

O Padre Julio Lancellotti repudia frequentemente e fortemente a “arquitetura antimendigo”. Nas redes sociais, o padre denuncia espaços públicos e privados que usam esse mecanismo para proibir a estada de moradores em situação de rua. Veja algumas postagens:


 


 

 

Aporofobia

O termo se refere a medo, rejeição, hostilidade e aversão às pessoas pobres e à pobreza.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Araraquara Agora Publicidade 1200x90